Droga nos presídios: palestras para detentos

Como forma de integrar a campanha institucional “Crack, nem pensar”, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Vara de Execuções de Penas e Medidas Alternativas (VEPMA) tem realizado diversas ações em Rio Branco.

Parte dessas atividades diz respeito a visitas aos presídios da capital, conduzidas pela juíza Maha Manasfi – titular da unidade judiciária – e a equipe técnica da VEPMA.

Na primeira visita, realizada no dia 1º de agosto, na Unidade de Regime Fechado nº 02, a equipe ministrou (formada por uma psicóloga e pedagogo) ministrou uma palestra sobre o tema para 17 reeducandos.

De acordo com Maha Manasfi, o grande objetivo “é conscientizar a população carcerária sobre as conseqüências nocivas da droga e seus efeitos devastadores para o usuário e família.” A juíza chamou a atenção, ainda, para o elevado consumo de drogas dentro dos presídios acreanos, vez que a prevenção se torna tão importante.

A substância tem sido uma das protagonistas do aumento das taxas de criminalidade e da destruição de núcleos familiares em todo país.

Já no dia 2 de agosto, foi a vez da Unidade de Regime Semi-aberto nº 02 e a Unidade de Regime Fechado nº 03. Dessa vez, 14 reeducandos do regime especial, como policiais, agentes penitenciários e presos com nível superior, assistiram à palestra. Já na terceira visita, na Unidade de Regime Semi-aberto nº 02, foram 21 os apenados que viram a apresentação do tema “Crack, To fora”.

Também foram incluídos no projeto os reeducandos que se encontram nos regimes fechado e semi-aberto, que estão iniciando a Prestação de Serviço Comunitário (PSC). Nesse caso, foram divididas duas turmas: a primeira no dia 29 de julho (28 reeducandos) e a segunda, no dia 5 de agosto, com 23 reeducandos.

Durante as visitas, Maha e Manasfi e sua equipe ouviram as reivindicações dos apenados, esclareceram dúvidas e os alertaram sobre os riscos da reincidência no mundo da drogas e do crime.

Outras visitas já estão programadas para o mês de setembro, no Complexo Penitenciário Francisco D’Oliveira Conde, na Unidade de Regime Semi-aberto nº 02 (UP-4) e na Escola de Ensino Fundamental Cláudio Augusto de Sales – localizada na Estrada Transacreana, no KM 44.

Além disso, a equipe da VEPMA também estuda parcerias com a Universidade Federal do Acre (UFAC) e outras instituições, para promover diversas atividades dentro dos presídios, como apresentações teatrais e dinâmicas em grupos.

A campanha do CNJ “Crack, nem pensar” tem sido veiculada em todo Brasil por meio de vídeos, outdoors, panfletos e cartilhas.