TJ e Segurança fazem acordo na comunicação

Medidas que irão modernizar a comunicação entre o Tribunal de Justiça do Acre e a Secretaria de Segurança (SESP) foram estabelecidas esta semana. As instituições celebraram dois termos de cooperação técnica, assinados pelo desembargador-presidente Adair Longuini e pelo secretário Ildor Graebner.

tjac731520110415110312O primeiro termo possibilitará o acesso virtual ao Sistema Integrado de Gestão Operacional (SIGO), utilizado pela Secretaria, pelos membros do TJAC que atuam no sistema de Justiça Criminal. Ao mesmo tempo, permitirá o acesso ao Sistema de Automação da Justiça (SAJ), do TJAC, pelos membros da SESP. Já o segundo documento visa à troca de correspondências eletrônicas oficiais por meio do sistema Malote Digital.

Para Adair Longuini, a parceria garantirá uma série de vantagens, especialmente segurança e rapidez.

-Este é um ano voltado para tecnologia da informação. Essa integração é muito importante porque permitirá aos juízes e membros do Tribunal de Justiça o acesso a informações policiais sobre réus, posição de inquérito etc., por meio do sistema SIGO. Por outro lado, iremos garantir à Secretaria de Segurança, por meio do Malote Digital, que se comunique online conosco. Dessa forma, uma delegacia poderá enviar um ofício ou outras correspondências a um juiz virtualmente, sem papel, e vice-versa. Essa cooperação institucional vai trazer mais fiscalização, segurança, praticidade, economia e rapidez aos nossos serviços – destacou.

O secretário de Segurança, Ildor Graebner, considerou que a iniciativa irá modernizar a Justiça no Estado.

-É uma satisfação estendermos o SIGO ao Tribunal de Justiça, estabelecendo a partir de agora essa interação de nossas informações e sistemas, como também podermos nos comunicar pelo Malote Digital. A polícia trabalha para o Judiciário, logo, nada melhor que as comunicações, dados e inquéritos sejam tratados de modo mais eficiente e transmitidos por via eletrônica. Portanto, ao interagirem, nossos sistemas modernizarão a nossa Justiça – afirmou.