Coluna Poronga: deputado quer aposentodoria

Cobras e lagartos
Um grupo do PSDB, sob a batuta de Tião Bocalom e Normando Sales, anda falando cobras e lagartos do senador Sérgio Petecão (PSD). O motivo
seria o apoio de Petecão ao nome de Fernando Melo (PMDB).

Balsa
Bocalom acha que a oposição, rachada, pode perder a eleição para o candidato da Frente Popular.

Suposição tucana
Esse pessoal que anda a dizer mal de Petecão acredita que a candidatura de Melo é insuflada muito mais por Petecão do que pelo próprio deputado Flaviano Melo (PMDB). Eles sustentam que Flaviano preferiria indicar o vice do PSDB.

Visões
Ontem, o deputado Wherles Rocha (PSDB) escalou a tribuna da Aleac para se dizer vítima de injúrias e difamação praticadas pelo governador Tião Viana, que, numa reunião com populares, teria colocado à prova sua honestidade.

Ética
Indagado sobre o assunto, o assessor de comunicação do governo, jornalista Leonildo Rosas, em nome do mandatário, negou peremptoriamente a falácia sustentada pelo deputado, enfatizando que todos os acreanos conhecem os métodos de fazer política do governador e a forma ética com que conduz sua vida. 

Prática
Ainda sobre o assunto, Leonildo lembrou que aqueles que lançam mão do expediente da injúria e da difamação não congregam o grupo político do governador, bastando recordar os milhares de panfletos espalhados no Estado denegrindo a honra do senador Jorge Viana.

Jorge Viana
O senador Jorge Viana (PT) participa hoje do programa Gente em Debate, levado ao ar simultaneamente pela Rádio Difusora Acreana e TV Aldeia, das 10 às 12 horas.

Filantropia
O deputado estadual Gilberto Diniz (PT do B) é um brincalhão. Acha insuficiente o salário que recebe na Assembleia – algo em torno de R$ 20 mil, mais verba de gabinete, auxílio-transporte, cota de passagem, auxílio-paletó, horas extras, diárias e verbas rescisórias – e está propondo a criação de um plano de saúde para os deputados e uma aposentadoria no fim do mandato.

Argumentos
A defesa de Diniz às duas propostas indecorosas foi feita ontem no salão azul da Assembleia Legislativa a jornalistas que cobrem os trabalhos da Casa. “Essa Assembleia está uma bagunça. Um deputado adoece e não tem sequer um plano de saúde para se tratar”, lamuriava-se o parlamentar.

Merecimento
Na concepção de Diniz, além do plano de saúde pago pela Aleac, o exercício de apenas um mandato já é o suficiente para fazer jus à regalia de uma pensão vitalícia.

Maior amparado
“Deputado quando perder o mandato tem de ir para casa com uma aposentadoria de no mínimo R$ 20 mil, que é o salário de um parlamentar hoje sem as vantagens.”

Maior abandonado
E foi didático: “Vocês querem um exemplo da importância dessa aposentadoria? Basta ver a situação do Zé Carlos [ex-deputado, que não foi reeleito na última eleição], que vive por aí lascado”, argumentou, deixando patente que cabe ao contribuinte resolver a situação.

Pensamento de pobre
Indagado por um jornalista por que não arcar com a adesão a um plano de saúde, o deputado usou a sinceridade: “É por isso que você é pobre. Você só pensa pequeno!”.

Homem de visão
Conterrâneo do deputado confidenciou à coluna estranhar a preocupação do parlamentar com as finanças no futuro, já que ele anda a alardear em Sena Madureira que no fim de seu primeiro mandato já somava quase R$ 1 milhão aplicado no mercado financeiro.  Esse é o retrato da oposição que quer o comando dos cofres do Tesouro estadual para ‘“beneficiar o povo do Acre”.

Defecção na FPA
Vereador Jairo Bandeira, de Brasileia, deixou ontem o PSB para se filiar ao PSD do senador Sérgio Petecão.

Três de uma vez
Em Plácido de Castro, o PSD abocanhou de uma só vez três vereadores: Laurita (ex-PSL), Socorro (ex-PTN) e Jairo (ex-PT).

Esfarrapada
Evangélico, Jairo deixou o PT sob a desculpa esfarrapada de que não ficaria no partido porque, segundo ele,  o assessor especial do governo, Carioca Nepomuceno, é ateu. 

Porém…
A verdade é que o ex-petista atendeu uma ordem de sua guru política, a deputada federal Antonia Lúcia (PSC).

Disputa entre quatro
Em Plácido, por enquanto, há quatro pré-candidatos à prefeitura: Dr. Renato, pelo PT; Roney, pelo PSB; Camilo, do PRTB e o candidato a ser definido pelo PMDB. 

No mesmo tom
Líder do governo na Aleac, o deputado Moisés Diniz (PCdoB) disse ontem que as respostas aos opositores serão dadas no mesmo tom dos ataques. Ele se referia ao discurso em que o Major Rocha, do PSDB, disse que interpelaria judicialmente o governador Tião Viana por tê-lo injuriado.

Conduta
Diniz lembrou a conduta democrática, ética e lúcida do governador até mesmo quando trata adversários que vivem de lhe fazer injustas críticas na Aleac. 

Elogios
Deputado Walter Prado (PDT) parabenizou o prefeito de Feijó, Dindin (PSDB), pela forma como vem se relacionando com o governo do Estado. Ele elogiou também o governador Tião Viana pela “maneira republicana de conduzir as obras do governo”. Ele se referia ao pacote que está sendo executado em Feijó.

Críticas
Prado guardou suas críticas ao PSDB pela forma como vem conduzindo o processo de candidatura de Dindin. Dia desses, a presidente do partido no município, vereadora Mirlene, ameaçava negar legenda a Dindin.

Atenção
O senador Aníbal Diniz, coordenador da bancada federal do Acre, precisa dar uma olhada no que o deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO) anda dizendo lá no seu Estado.

Lanterna
Em entrevista à imprensa do Estado vizinho, o deputado informou que Rondônia passou, e passou muito, o Estado do Acre em termos de investimentos do governo federal no Orçamento Geral da União (OGU) de 2012.

Triplo
Citando as projeções orçamentárias do OGU do próximo ano, Capixaba diz que Rondônia vai receber mais de R$ 1,6 bilhão em investimentos, enquanto ao Acre foram reservados apenas R$ 487,9 milhões. Os investimentos para o Acre só seriam maiores do que os dos Estados do Amapá e de Roraima. É o caso de Diniz arregimentar a bancada acreana e reverter a situação.

[publicada originalmente no pagina20, edição desta sexta, 7]