Fogás industrializa gás GLP e livra Acre da dependência de RO

Todo o gás de cozinha consumido no Acre será industrializado em Rio Branco. Uma base da Fogás para este fim foi inaugurada na tarde da última segunda-feira, encerrando um longo período de quase 30 anos em que a embalagem do produto era feito em Porto Velho (RO). A nova logística implementada agora, orçada em R$ 10 milhões, atende a um apelo da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB), feita há cerca de 2 anos junto à direção da empresa. Os investimentos também foram motivados – e apressados – pela abertura da BR-364 para o tráfego ininterrupto até Cruzeiro do Sul.

gs240_1625-gs1Além de aumentar em 30% a oferta de empregos, o envasamento do produto na capital foi aprovado em face ao crescimento econômico do estado pela integração latino-americana (rodovia para o Peru). O tempo de transporte do GLP até o Vale do Juruá, antes feito por balsa desde a cidade de Manaus, também cairá de 48 dias (no pico da seca), para 40 horas (em consdições normal de transporte terrestre.
O diretor-superintendente da Fogás, Jonathan Bechimol, disse ao secretário estadual Edvaldo Magalhães (Indústria e Comércio) que o estoque regulador do gás líquido á granel aumentará em três vezes aos consumidores acreanos, “o que evitará qualquer risco de descontinuidade no abastecimento do produto acabado”.
“A embalagem do GLP em Rio Branco vai facilitar a sua retirada na própria capital e o seu transporte, via BR-364, pelos fornecedores da região”, afirmou Jonathan Bechimol.  Ele informou que os maquinários entram em ajustes finais e a operação prática da indústria começará em três semanas.
fogas1“Desde que não falte gás, haja controle de qualidade, segurança e com a possibilidade de barateamento de preços, creio que esta conquista, de todos os consumidores acreanos, deve ser comemorada, especialmente nas cidades do Juruá que enfrentam restrição de navegação durante um longo período do ano”, disse Perpétua Almeida.
O diretor-superintendente da Fogás disse à deputada que já houve a contratação de aproximadamente 40 funcionários adicionais que irão trabalhar na unidade de Rio Branco. A base da Fogás irá propiciar a utilização do pequeno granel para fazer abastecimento de clientes em estabelecimentos comerciais e industriais.
“A garantia de tráfego diário da BR-364 alivia os revendedores do Vale do Juruá. Com esta novidade, eles não precisarão mais estocar grandes quantidades do produto ás vésperas da estiagem, afinal a seca dos rios deixará de ser um problema sério para o transporte desde a cidade de Manaus”, comentou Edvaldo Magalhães.