Empresários e empregados da Via Chico Mendes querem proteção para trabalhar

Podem não ter feito esta pergunta ainda, mas a resposta é certa e tem nome: Via Chico Mendes. A pergunta é: qual a rua que reúne o maior PIB de Rio Branco? A resposta: Via Chico Mendes. É o corredor de entrada e saída da capital que concentra o maior e mais poderoso conglomerado de empresas bem sucedidas do Estado.

viachicomendes2012-02-06_17-41-44_301É na Via Chico Mendes, nome emprestado do símbolo do ambientalismo mundial nascido em Xapuri, que estão fincadas as empresas de maior arrecadação e volume de investimentos do Acre nos últimos 20 anos. Nessa via estão desde autopeças, rede de lojas de eletrodoméstico, distribuidoras em geral e as principais concessionárias de veículos. A Chico Mendes é a via dos negócios, do lucro, e….dos assaltos. Dos assaltos?

Entre os empresários da Via Chico Mendes são raros, raríssimos, os que ainda não foram molestados com uma arma na cabeça por um fora-da-lei em dia de expediente.

19 de Dezembro de 2011.

Um delinqüente entra na empresa Desdepel (17 vezes assaltada) de arma em punho,  às 7h23min, anuncia o assalto e às 7h32min, ao sair da empresa, é surpreendido por um funcionário que o atinge com um extintor. O delinqüente se vira e, como um pistoleiro profissional, dá um tiro certeiro e acaba com a vida de um empregado de apenas 28 anos. A notícia foi destaque nas páginas policiais de todos os jornais e programas de TV de Rio Branco. Uma tragédia para a família da vítima. Um número a mais nas estatísticas da polícia.

22 de Janeiro de 2012 (33 dias depois)

20h30min – Na garagem da empresa de ônibus localizada na via do maior PIB do Acre, ainda se ouvia o barulho do motor da bomba d’água e de alguns empregados que lavavam os veículos estacionados. Não se ouviu, no entanto, dois homens que, pulando os altos muros da empresa atacavam o proprietário quando este conferia se o portão de entrada principal estava mesmo fechado.

Os bandidos não tiveram dó e bateram no empresário de mais de 60 anos, que, mesmo assim, não se entregou e resistiu o quanto pode até que seus algozes se assustaram com a voz da sua mulher e fugiram do local, não sem antes afundarem a cabeça da vítima com dezenas de coronhadas. ‘Foram mais de 20 pontos’, conta o empresário.

‘O problema é a falta de policiamento e a impunidade’. Essa é a opinião geral corrente nas empresas da Via Chico Mendes. Um gerente de empresa que já foi invadida uma porção de vezes relata até com certo humor que não compra mais celulares sofisticados. ‘Pra quê? Eles chegam, levam e ainda chamam a gente de vagabundo. Já fiz até um seguro de vida, Até o caixão tá pago. Minha mulher só terá mesmo o trabalho de chorar’.

Posto na entrada do Taquari

Os empresários apontam o Taquari como o esconderijo dos responsáveis pelos constantes assaltos nas redondezas. Um posto policial na entrada do bairro é tudo o que pedem as vítimas, que alegam que o pelotão instalado na antiga agência do Banacre, no Bairro 15, não atende às necessidades. ‘Mas também não há policiamento andando aqui na Via. É muito difícil ver um policial por aqui’, diz outro empresário de lojas de peças que também já foi vítima dos bandidos.

Segurança armada e paga

Começa a ganhar corpo entre os empresários da Via Chico Mendes a formação de um condomínio para custear uma vigilância particular armada por 24 horas. ‘Aqui é uma área de prostituição, droga e alta violência principalmente à noite. O que podemos fazer é tentar nos garantir’, afirma outro gerente que já teve um revólver apontado para a sua cabeça’. ‘Eles entram de boné, de cabeça baixa e quando você vê ele tá dentro da empresa humilhando todo mundo’.

100 assaltos

A polícia não confirma, mas pelas informações dos empresários da Via Chico Mendes nos últimos dois anos, ao menos uma centena de assaltos foram praticados naquela área. Outro empresário relata: ‘A gente não sabe se volta para casa no final do dia. Um dia o cara entrou aqui e, como tinha muita gente na loja, ele resolveu assaltar a empresa ao lado, que tava só com dois funcionários. Quem agüenta uma coisa dessas? Tem um empresário aqui na Via Chico Mendes que tem até uma saída de emergência. De tanto ser assaltado ele fez essa saída para poder escapar’.

Registro: ontem, segunda-feira, 6, a empresa Pemaza foi a última loja a ser assaltada na Via Chico Mendes.

viachico2012-02-06_17-41-50_65Via Chico Mendes

-Inaugurada em dezembro de 2003
-Homenagem ao líder seringueiro Chico Mendes
-Construída no governo Jorge Viana
-A principal via de negócios da capital
-Entrada e saída de Rio Branco para outros estados
-Construída com recursos do BNDES
-Extensão: 4km
-250 palmeiras
-350 postes em estilo clássico