Governo do Acre quer crédito da CEF e BB para vítimas da alagação

O Governo do Estado está articulando com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal linhas de crédito facilitadas para as vítimas da alagação. O foco são os produtores rurais, ribeirinhos, pequenos e médios comerciantes e famílias que perderam bens como fogão, geladeira.

crianasOs bancos estão trazendo as experiências de outros estados que enfrentaram situações de desastres similares, como o Rio de Janeiro e Minas Gerais. “Uma das primeiras providências é suspender os pagamentos dos créditos que já foram concedidos, até que nós possamos formatar as medidas que serão tomadas”, observou o secretário de Fazenda, Mâncio Lima Cordeiro. Uma das propostas, segundo o secretário, é estender os prazos sem aumentar os juros. “Para evitar que os produtores que já têm financiamentos, por exemplo, sejam prejudicados por falta de pagamento das prestações, já que perderam tudo e não terão como repor a produção imediatamente”, explicou.

Mâncio estima que até a próxima quarta-feira, as opções estejam consolidadas e serão anunciadas pelo governador Tião Viana. Para a área de produção rural uma das alternativas seria uma linha especial do Pronaf (um programa de crédito operado pelo Banco do Brasil), com carência estendida e pagamento de apenas 75% da dívida. A Caixa Econômica Federal está analisando uma proposta de crédito para linha branca, voltada a famílias que perderam eletrodomésticos.

Uma das preocupações do Governo do Estado é a forma como esses créditos serão disponibilizados para a população. “Tudo tem que ser fora do padrão e as soluções precisam ser muito rápidas e facilitadas. Estamos falando de crédito para quem perdeu tudo: em muitas situações teremos pessoas que perderam inclusive os documentos”, ressaltou o secretário de Fazenda.

As informações foram apresentadas na reunião do Gabinete Integrado de Mobilização-Alagação 2012, que acontece diariamente sob a coordenação do governador Tião Viana. Um dos objetivos é reunir e nivelar os dados atualizados sobre a situação de cada município atingido pela alagação.