Marceneiros recebem licenças ambientais e recursos

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens), liberou na quarta-feira, 7, durante evento realizado na sede do Polo Moveleiro de Rio Branco, cerca de R$ 38 mil para 20 marcenarias – 15 da capital, quatro de Sena Madureira e uma de Brasileia – que tiveram prejuízos com a enchente. A intenção é oferecer condições para a realização de serviços emergenciais, visando o funcionamento dos empreendimentos.

edvaldothumb_moveleiros_foto_sergio_valeNa oportunidade, também foram entregue 23 licenças ambientais, documento fundamental para o funcionamento das marcenarias, que tem validade de quatro anos e sem nenhum custo para os marceneiros. Para se ter uma ideia do que isso representa, até 2011 os marceneiros pagavam até R$ 2 mil para conseguir uma licença com validade de apenas um ano.

No total, desde abril de 2011, quando o governo do Estado lançou o programa de Apoio ao Setor Moveleiro e Marceneiro do Acre, já foram entregues 110 licenças na capital e no interior. Outros 112 processos já estão em fase de conclusão e os documentos devem ser entregues em breve. “Desde o primeiro encontro dos marceneiros do Acre, realizado em abril de 2011, que nossa categoria passou a ser valorizada pelo governo. Antes sofríamos muito para conseguir uma licença, com validade de apenas um ano. Agora, os servidores da Secretaria de Indústria foram até as marcenarias e providenciaram tudo. Estamos recebendo licenças, sem nenhum custo, com validade de quatro anos”, comemorou o presidente da Cooperativa dos Moveleiros do Acre (Coopermóveis), Domingos Sávio.

O marceneiro Raimundo Mota teve parte dos equipamentos de sua marcenaria, localizada no bairro Cadeia Velha, danificada pelas águas do Rio Acre e está sem trabalhar há alguns dias. Nesta quarta-feira, 7, além da sonhada licença ambiental, ele também recebeu a ordem de serviço para conserto de máquinas fundamentais para o funcionamento do empreendimento.

Agradecendo o apoio do governo do Estado, ele fez questão de destacar o empenho e a dedicação do secretário Edvaldo Magalhães para garantir melhorias para os marceneiros. “Nós éramos tratados como bandidos. Em outra época, não teríamos ajuda de ninguém e os prejuízos seriam maiores. Mas hoje estamos realizando o sonho de receber a nossa licença, sem nenhum custo, e ainda estamos recebendo apoio para continuar trabalhando”, afirmou.

Durante o evento, o secretário Edvaldo Magalhães (Sedens) fez questão de destacar a decisão do governador Tião Viana de criar e executar um programa de apoio às marcenarias. Ele disse que os compromissos assumidos durante o I Encontro de Marceneiros do Acre, realizado em abril de 2011, estão sendo cumpridos, garantindo melhorias para o setor.

“Esse ato faz parte da decisão do governador Tião Viana de apoiar e valorizar os marceneiros acreanos. Ele garantiu melhorar o acesso à matéria-prima, criar uma política de compras governamentais e legalizar os empreendimentos. Tudo isso tem sido feito. E podem contar sempre com o apoio dele”, afirmou.

Edvaldo Magalhães disse que o governo pretende realizar um novo encontro com marceneiros de todo o Estado para avaliar o setor e pensar em novas ações de melhorias. Ele disse que a Sedens, em parceria com o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), vai realizar uma espécie de força-tarefa para entregar, o mais rápido possível, as 112 licenças ambientais que ainda estão em processo de análise.