Ministério Público do Trabalho interdita obras do Linhão 2

Desde quinta-feira que o MPT interveio e decidiu barrar momentaneamente a continuação das obras do Linhão-2 devido a irregularidades trabalhistas da empresa ganhadora da licitação, a Tabocas. O circuito-2, como é chamado pela Eletrobrás, reforçará o abastecimento de energia no Acre. Há 10 anos Rio Branco e alguns municípios recebem energia através do Linhão-1.

linhoAs irregularidades vão desde condições insalubres dos trabalhadores que estão atuando nos três canteiros ao longo da BR-364 (Porto Velho – Rio Branco), exceço de horas trabalhadas e problemas com a segurança dos operários. A Tabocas, vencedora da licitação, sublocou duas empresas para ajudar a construção do Linhão 2. Uma dessas empresas contratadas é um grupo conhecido no Acre, e que também enfrenta fiscalização do MPT.

O circuito (2), garante a Eletrobrás, reforçará e dará estabilidade na energia fornecida ao Estado do Acre, evitando, espera-se, de uma vez por todas, as interrupções no fornecimento à capital Rio Branco e em alguns município já interligados pelo Linhão 1.

As empresas entraram com recursos junto ao MPT tentando mostrar que estão corrigindo as irregularidades no tocante aos trabalhadores. E esperam a liberação para a continuar os trabalhos de instalação das torres a qualquer momento.

Cruzeiro do Sul

Equipes da Eletrobras começaram na semana passada estudos para levar o Linhão até o Vale do Juruá. Na sexta, técnicos e engenheiros da estatal estiveram no Bujari. A rede para o Juruá teria início possivelmente em Rio Branco, embora a ‘ponta’ do Linhão-1 já esteja em Manoel Urbano.