Banco do Brasil reduz taxas para micro empresa e pessoa física

O Banco do Brasil anunciou que irá reduzir juros e aumentar os limites de crédito para pessoas físicas e micro e pequenas empresas. Os novos valores entram em vigor no dia 12.O anúncio ocorre um dia após o governo lançar medidas para estimular a produção da indústria brasileira, em um pacote estimado em R$ 60 bilhões em renúncia fiscal do governo somente neste ano.

jurosilustracao-simbolizando-juros-e-casa-propria-1284585930668_560x400Com o chamado de BomPraTodos, o BB afirma que irá elevar em R$ 26,8 bilhões os limites de crédito para micro e pequenas empresas e em R$ 16,3 bilhões os limites para pessoas físicas.

Segundo o banco, uma nova metodologia de análise de risco, priorizando bons pagadores, permitiu a mudança.

A Folha informou, em março, que tanto o Banco do Brasil quanto a Caixa Econômica Federal se preparavam para cortes nas taxas oferecidas a clientes com histórico de bom pagador, para atender à determinação de Dilma Rousseff de reduzir o custo dos empréstimos no país.

“Vamos reduzir os spreads, aumentar a oferta de crédito, estimular o uso consciente do crédito e ainda atrair novos clientes no contexto da Livre Opção Bancária”, avaliou, em nota divulgada nesta quarta-feira, o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine.

PESSOA FÍSICA

A nova linha de financiamento de veículos para pessoas físicas no BB terá juros a partir de 0,99% ao mês. O banco afirma que a redução será de menos 19% sobre os valores atuais. “Para as linhas voltadas à aquisição de bens e serviços de consumo, os juros médios serão reduzidos em 45%”, informou.

Os juros bancários para empréstimo consignado com desconto na folha do INSS, oferecido a aposentados e pensionistas da Previdência Social, serão de 0,85% a 1,80% ao mês. Trabalhadores que recebem pelo Banco do Brasil poderão ter acesso a juros de 3% ao mês –12,25% ao ano– no rotativo do cartão de crédito.

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Ainda segundo nota do BB, micro e pequenas empresas terão acesso a linhas de capital de giro com juros de 0,96% ao mês, redução de 15% sobre os valores atuais. “Já os valores da vendas a prazo com cheques pré-datados, duplicatas e cartões de crédito poderão ser antecipados com encargos a partir de 1,26% ao mês.”

As empresas também terão outras facilidades “de acordo com o nível de relacionamento entre a cliente e o BB”.

O banco espera, com as medidas, “aumentar a satisfação de seus clientes, aumentando a competitividade e ampliando sua liderança no mercado”.