Castanha do Acre é transportada de avião devido à enchente do Madeira

Os voos fretados pelo governo do estado, deste domingo e segunda-feira, 16 e 17, que trouxeram itens de suprimentos hortifrutigranjeiros para Rio Branco, não voltaram para Porto Velho (RO) vazios. A ação é resultado da parceria do governo do Estado com a Secretaria Nacional de Defesa Civil. Foram levadas 18 toneladas de castanha. O carregamento se destina a empresas nacionais e multinacionais com indústrias localizadas nos estados de São Paulo e Paraná.

“Esse é mais um esforço do governo para o escoamento da produção do nosso estado. O abastecimento é uma alternativa para lidar com a situação de calamidade, e o escoamento é o caminho inverso aproveitado inteligentemente para beneficiar as cadeias produtivas do Acre”, enfatiza o secretário de Desenvolvimento Florestal (Sedens), Edvaldo Magalhães.

A produção da Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre) está prejudicada pela cheia do Rio Madeira e o transbordamento na BR-364 no trecho no estado de Rondônia. A Cooperacre coordena o maior conglomerado de indústrias de castanhas-do-brasil, que detém 20 cooperativas e associações em 10 municípios.  Há cerca de 100 toneladas de castanha processada no estado aguardando serem transportadas.

[Miriane Teles]

Mais sobre este assunto na Coluna do Braña