Página 20: MBittar e Boca receberam dinheiro das empresas da Lava Jato (eles só apontavam para o PT)

Caíram as máscaras dos dois ex-candidatos derrotados ao governo do Acre, MBittar e o Boca que, conforme a justiça eleitoral, foram agraciados com 340 mil das empresas envolvidas na Operação Lava Jato.

E os dois passaram a campanha inteira acusando o PT de corrupção.

Por isso a investigação da Lava Jato tem que ir fundo..

Porque vai pegar muita gente…dos partidos da situação e muitos, mas muitos também, da oposição.

Por isso a presidenta Dilma declarou:

-Não vai ficar pedra sobre pedra.

É isso aí.


 

Extraído do Página 20

Operação Lava Jato: Bittar e Bocalom receberam R$ 340 mil de empresas envolvidas

lavajatopolitica_27

 

Dados da Justiça Eleitoral confirmam que os candidatos majoritários nas últimas eleições do Acre, Márcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalom (DEM), receberam dinheiro das empresas Andrade Gutierrez e UTC Engenharia, ambas envolvidas na Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal em março deste ano. Bittar recebeu da primeira empresa o valor de R$ 240 mil, enquanto a doação de Bocalom, feita pela segunda empresa, foi de R$ 100 mil.

Quando noticiada, a Operação Lava Jato foi muito usada no âmbito eleitoral, inclusive para denegrir a imagem dos partidos aliados da então candidata Dilma Rousseff. Hoje, os dados mostram que o principal acusador, que era o PSDB, foi um dos principais beneficiados pelas empresas denunciadas pela operação. No Acre, os partidos agraciados pelas empresas fazem oposição ao governo.

Para quem não lembra, a operação Lava Jato estourou em março, e já teve mais de sete etapas. Num grande esquema, só no primeiro dia foram apreendidos mais de R$ 5 milhões em dinheiro, 25 carros de luxo, joias, quadros e armas. Na mesma operação também foram identificadas doações milionárias para os governos de São Paulo, pelas quais os candidatos tucanos José Serra, Geraldo Alckmin e inclusive o candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), teriam sido beneficiados.