PHA: Só Sarney e FHC se curvaram tanto diante da Globo

 

do C af, de Paulo Henrique Amorim

Nem os militares.

Nem Collor.

Que usaram a Globo tanto que a Globo os usou.

Os militares deram muito, receberam muito, mas não deram tudo o que a Globo quis.

Collor se elegeu com a ajuda da Globo, mas não se esqueceu que Roberto Marinho só o apoiou quando estava na frente nas pesquisas.

E tentou montar uma rede alternativa, a CNT, do Martinez.

Sarney e FHC, não.

A Globo co-presidiu o Brasil nos governos Sarney e FHC.

A Globo protegeu na Europa a mãe do suposto filho de FHC fora do casamento.

E o elegeu e reelegeu e reelegeria quantas vezes fossem necessárias.

Roberto Marinho escolhia os ministros da Fazenda de Sarney.

E conseguiu ganhar dinheiro com a fracassada Tele MonteCarlo, numa operação cheia de “não conformidades”, no Banco Central de Sarney.

Mas o Governo Dilma é diferente.

É a submissão por omissão, por conivência.

Com a Bolsa PiG.

Com a inação diante de um Golpe que se desenrola 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano, nas telas e em todas as plataformas da Globo.

Onde já se viu a presidente de uma empresa como a Petrobras, uma funcionaria exemplar e insuspeita como Graça Foster, se submeter a um interrogatório do jn, como se fosse um meliante do programa do Marcelo Resende, o Cidade Alerta, ou estivesse diante do Coronel Albernaz, num interrogatório, na cadeira do Dragão.

Onde já se viu ?

Quem é a Globo para submeter a Graça a essa humilhação ?

Que autoridade moral tem os filhos do Roberto Marinho, titulares da Globo Overseas, para suspeitar da Graça ?

A desastrada entrevista de Graça ao jn teve um efeito perverso.

Esvaziou, implodiu a importante declaração da presidenta Dlma, no encontro com os jornalistas: a Graça não sai !

Porque não há nada contra ela.

E a quem interessa detonar a Graça ?, perguntou Dilma.

Interessa a quem quer assaltar o pré-sal e rasgar o regime de partilha.

Entregar a Petrobrax ao PSDB.

Tão simples assim, diria a Presidenta.

É inadmissível que um Governo eleito pela quarta vez consecutiva se deixe implodir dessa forma.

Como um patinho de tiro ao alvo em parque de diversões.

Todos atiram nele e a única reação do patinho de madeira é cair no fosso.

E quem mais acerta o patinho mais ganha dinheiro.

Bater na Dilma é um exercício sem custo.

Ou risco.

Bate, bate, bate e não acontece nada !

Ao contrário !

Ainda recebe o Bolsa PiG para bater mais e mais.

Só o Sarney e o FHC !

Nem os militares ou o Collor !

Em tempo: diz o Vasco, sempre afiado: os acordos de delação premiada não são mais feitos na Justiça, mas na Globo !

Paulo Henrique Amorim