Viagem aos EUA: uma coisa boa para o Acre que é transformada em coisa ruim

gov-nos-eua
Governador em encontro nos EUA, na Califórnia

Quando uma coisa boa para o Acre se transforma numa coisa ruim pelas mãos da imprensa.

Vi há pouco a manchete do ac sobre a viagem do governo aos EUA.

A viagem é parte das ações de governo com vistas a chamar à atenção dos norte-americanos para potenciais apoios em investimentos no estado.

Uma porta que se abre para a nossa economia em tempos de Temer e seu desgoverno de PEC 55.

O Acre, que parece que não tem nada a oferecer, tem muito e, geralmente, os daqui, não conseguem enxergar as potencialidades naturais locais a serem oferecidas ao mercado do primeiro mundo.

Aí as viagens desse tipo viram piadas nas mãos de escribas declaradamente de oposição ao governo.

Sugestão: que o governo explique tim tim por tim tim os motivos e os objetivos da agenda internacional.

No Acre tem-se a mania de se achar que o mundo se resume ao nosso território e que ações fora das nossas fronteiras não têm serventia alguma.

Fruto de uma visão provinciana construída ao longo de um século.

A viagem aos EUA, pelo que sei, é a convite de organismos multilaterais, como o Banco Mundial (com despesas pagas pelo anfitrião), que tem interesses em regiões como Acre.

Que, se aqui, ainda não se descobriu sua importância, paciência… lá fora eles já sabem do que podemos oferecer e por isso quase que exigem a presença do Acre em citas de interesse específicos ou global.

J R Braña B.