Fim da CLT…(fui ao banco, mercado, farmácia, quitanda…e nada!)

Desde ontem que estou incomodado com o que acontece no Brasil e o com o que não acontece no Brasil.

Eles acabam a CLT e não dizemos nada…

Não fazemos nada…

Os trabalhadores nem sabem o que foi feito no senado na noite de terça.

Hoje andei no comércio de Rio Branco e vi trabalhadores dando duro como se nada tivesse acontecido.

Entrei em restaurante…

Em farmácia…

Em mercado…

Em quitandas…

E nenhum trabalhador eu ouvi reclamando que os seus direitos foram retirados pelos senadores eleitos do Brasil.

Que decepção…

Entendi: eles não sabem.

Encontrei um antigo companheiro de Bradesco, que não era do sindicato, mas que lembrou da gente brigando e parando a capital em defesa dos nossos direitos à época…

E ontem, o que vimos?

Nada.

Nenhum trabalhador nas ruas de Rio Branco protestando contra os senadores GladsonC e Petecão e o senado em geral.

Nenhum sindicato denunciando os golpistas que estão acabando com o país e o mínimo estado social que ainda existia graças à CLT e à CF de 1988.

Onde estão os sindicatos do Acre?

Do Brasil?

Para piorar, como não fazemos nada, não dizemos nada….uma sentença hoje de uma justiça seletiva, de classe contra Lula o condena.

Lula condenado a 9 anos de prisão…

Moro, dizem, chama o presidente de nine… a condenação também foi de 9 anos…

Uma condenação ridícula, sem provas – do mais importante líder nacional da atualidade.

Uma condenação que os brasileiros conscientes não aceitarão…

O mundo jurídico também não.

A gente se sente diante de tudo isso impotente.

Eu, aqui, no meu computador não passo de meio pingo, meia gota de água nesse oceano de injustiça no nosso país.

Às vezes penso que seria melhor ser alienado, inocente, despolitizado, imbecil como esses coxinhas do whaltsap que passam o tempo defendendo o Bolsonaro fascista…é um horror!

Talvez fosse melhor não pensar em nada.

Não saber de nada…

E ficar igual aos trabalhadores que vi hoje nas lojas, mercados e farmácias…

Tranquilos, trabalhavam como se nada tivesse acontecendo.

Não é raro essa indiferença dos trabalhadores do Acre e do Brasil me irritarem profundamente.

O que fazem os sindicatos atuais (com exceção de alguns contados nos dedos, é claro)?

Onde estava o trabalhador ontem na hora da votação no senado?

Em casa, no trabalho…trabalhando para piorar a sua condição de trabalhador.

O Brasil que imagino não será para o meu tempo.

É a única certeza que tenho.

Mas é preciso ir em frente…

E o que tem lá frente?

Mais vida…

J R Braña B.


 

Em tempo: assista Mino…um combatente: