Chicote é o símbolo da Casa Grande BraZil no lombo de Lula e do povo (v)

O blogueiro único do oestadoacre.com (que vai passar esta manhã num teco-teco voando pelos céus do Acre) deixa vocês, os melhores leitores – com esta simplificada entrevista de Dilma, publicada no Caf, de PHA. Nos encontraremos mais tarde, à noite…ou amanhã, quarta…ah…e não deixem de ouvir a rádioweb oestadoacre.…o dia e a noite no ar… – J R Braña B.

Homem ataca com chicote integrante da caravana de Lula no Rio Grande do Sul

A Presidenta Dilma Rousseff concedeu entrevista à imprensa internacional nesta segunda-feira, 26/III, no Rio de Janeiro, na companhia do Chanceler Celso Amorim e do Senador Lindbergh Farias.

Conversa Afiada reproduz (oestadoacre pega carona no Caf), de modo não literal, algumas das principais declarações:

– quero destacar mais uma vez a intervenção do Ministério Público Federal, que ameaçou reitor de uma universidade de afastamento de cargo caso recebesse a caravana de Lula

– em todos esses lugares são milícias armadas

– eu vi com meus olhos

– temos a tradição do controle social pela violência

– acredito que no Brasil estamos vivendo um momento muito difícil. Eu vivi um golpe. E não é um golpe militar como os outros países conheceram. É midiático, parlamentar, corporativo

– nossa elite tem toda capacidade de dar um golpe sozinha. Mas acho que tivemos ajuda do exterior

– a História vai mostrar

– nós tínhamos reduzido a desigualdade e vivíamos uma Democracia. Acredito que nós temos uma chance única, mas nós temos um bloqueio de mídia. O ex-Presidente Lula tem sido sistematicamente atacado

– como explicar que uma senadora defenda o chicote? Nós tememos pelo resto

– ela não tem vergonha de falar que alguém tem que ser recebido com relho?

– é a arma que a Casa Grande usava contra a senzala!

– onde estava o interventor federal no momento da morte de Marielle Franco? Onde estava o interventor no momento da morte de oito pessoas na Rocinha? E na morte de cinco jovens em Maricá?

– violência foi num crescendo e atingiu quatro moças e uma criança

– é possível aceitar que matem uma vereadora por opinão? Ainda mais sendo negra e combativa? Vim aqui denunciar o que pode acontecer na eleição: um banho de violência

– no Brasil, a exclusão e o privilégio nasceram juntos. Fomos o último país a abolir a escravidão

– nós temos a intervenção Federal de um lado (no Rio de Janeiro) e a omissão federal de outro (que deixa passar a violência contra a caravana de Lula no RS)

– a intervenção é um projeto político de eleição. Faz parte tentar ganhar pontos de apoio, que tem a ver com o fato de que Lula saia do processo eleitoral

– nos lugares mais violentos, como o México, fizeram uma intervenção, mataram mais de 100 mil pessoas e resolveram o problema? Não, aumentou!

– todo Golpe se radicaliza

– Bolsonaro surge porque temos uma herança que formou uma classe média que tem a ver com capataz, que acha absurdo que o povo acesse aeroporto, vire médico…

– a imprensa diz: estão negociando cargos. Mas não explica o sistema de estruturação dos partidos, ninguém questiona isso. Há um problema sério na governabilidade

– a milícia é típica do fascismo

– não vou ficar falando desse cineasta [Jose Padilha]. É fake news.

– Netflix não pode fazer campanha política

– e se faz no Brasil, fará em qualquer país

– não vou mais falar em público, para não dar força para ele


PS: e para fechar o post…assistam PHA…e os vários chicotes da Casa Grande no lombo de Lula e do povo .

e d