Acusado de assassinar mecânico é condenado a quatro anos de prisão

O braçal João José Gomes de Souza, 37 anos de idade, acusado de ter executado o mecânico Irlânio Rocha Brito, 27 anos, foi condenado nesta segunda-feira (10) a uma pena de 4 anos de prisão. Presidido pela juíza Zenice Mota Cardoso, o julgamento aconteceu na comarca do fórum desembargador Vieira Ferreira, em Sena Madureira.

A sessão teve inicio por volta de 9:20 horas da manhã e contou ainda com a participação da promotora Patrícia Paula dos Santos, representante do Ministério Público e do defensor público Michael Marinho. Ao longo do dia foram colhidos depoimentos de testemunhas que ajudaram a esclarecer os jurados quanto aos quesitos a serem votados.

João José foi julgado por homicídio simples privilegiado. Como desde o mês de março ele se encontra recolhido ao presídio Evaristo de Moraes, o mesmo será liberado da referida unidade e cumprirá os quatro anos em prisão domiciliar. “O julgamento transcorreu de maneira tranqüila, sem nenhum imprevisto e ao final o conselho decidiu por condená-lo pelo crime de homicídio, mas não nos moldes da denúncia. Inicialmente ele foi condenado a Seis anos de prisão, mas houve essa redução para quatro anos porque os jurados entenderam que ele agiu impelido por uma emoção violenta após uma provocação injusta da vítima”, relatou a juíza Zenice Mota.

Promotora lamenta resultado do julgamento

A promotora de justiça de Sena Madureira, Patrícia Paula dos Santos, lamentou o resultado do julgamento. Em sua análise, o réu deveria ter sido julgado por homicídio qualificado e não por homicídio simples privilegiado. “A gente sai insatisfeito com o desfecho desse julgamento. Uma pessoa que mata outra pegar somente quatro anos de prisão é realmente lamentável. Iremos analisar e vê a possibilidade de recorrer dessa decisão”, salientou.


Join the Conversation