Há mais de década o Acre dá ‘la tarjeta roja’ para a Oposição (PSDB, PMDB e DEMO)…E vai continuar dando

VICE_02
Foto: assessoriapsdb

Nesta Copa os brasileiros vão torcer pela Seleção.

Estimular o time do Felipão a vencer o torneio esportivo de maior pompa do planeta.

Que o governo do Brasil aproveitou o ensejo para investir bilhões em infraestrutura e mobilidade urbana nas cidades sedes de jogos.

Os investimentos do governo Dilma, como ela  mesmo diz, não foram nem são para a Copa.

São para o país, para as pessoas que vão continuar vivendo aqui depois do mega  evento.

No lançamento de domingo da Oposição, a candidata a vice, Antônia Sales, uma política tradicionalmente comedida nas palavras, entrou na onda do destempero verbal e disse que nesta ‘Copa vai apitar e dá um cartão vermelho ao PT’.

Além de entender de apitos, a Oposição sabe muito o que é cartão vermelho.

Há 16 anos a população os brinda com (*) ‘la tarjeta roja’ (no idioma mater, a vice de MBittar entenderá melhor).

Há década e meia que os eleitores conscientes do Acre sepultam qualquer possibilidade de retorno dos fantasmas do passado.

Isso mesmo!

Porque PSDB, PMDB e o DEMO são fantasmas que em todos os períodos eleitorais tentam sair de suas catacumbas para assombrar os incautos.

O que a Oposição propõe ao Acre é a volta desse passado nebuloso.

Onde havia um Estado sem Lei e que o banditismo reinava à vontade.

O Estado do Acre entregue pela Oposição ao PT foi o Estado falido.

Falido moralmente e falido financeiramente.

Com as instituições sem personalidade.

No chão.

Com as bandas criminosas governando o Acre e fazendo as leis.

Não!

Não, senhora candidata a vice da Oposição!

Com todo respeito que merece como pessoa e como mulher e mãe, esse time do qual a senhora faz parte na política do Acre não tem credibilidade para postular a volta ao poder.

Porque já tiveram a chance para fazer o que pregam e nada – ou muito pouco – fizeram para desenvolver o Estado.

O que sobraria no Acre se fosse possível apagar todas as obras do PT/Frente Popular dessa última década e meia?

Nada ou quase nada.

Isso mostra como foram ineficientes e omissos os governos da Oposição que puderam mandar no Acre.

E o que pior:  mesmo agora, não apresentam propostas nenhuma.

Só sabem pregar o caos.

São os arautos do quanto pior, melhor.

Melhor para quem?

Para a Oposição.

Dona Antônia começou mal sua campanha para ser vice-governadora.

Poderia ter começado chamando os seus aliados a sentar e discutir um projeto para Acre.

Um projeto de Acre, que envolva o povo na discussão de suas prioridades.

Mas, não.

Optou pela metralhadora.

Que só faz barulho e não aponta saída para os problemas.

Alternância de poder não é mudar apenas pela lógica da mudança.

Alternância de poder é mudar com substância.

Coisa que a Oposição não tem e que por isso está fora do poder esse tempo todo.

Novamente teremos uma campanha com a Oposição não tendo propostas para o Acre.

Lamentável.

(*) Tarjeta Roja – Cartão Vermelho


Em tempo: com a indicação da deputada Antônia Sales para vice de MBittar, Flaviano Melo continua absoluto para concorrer, de novo, a deputado federal. Na viagem da Balsa, o Leão do Juruá vai se lembrar disso. Será tarde.


Transporte público na capital

novos onibus
Foto:MarcusVicenti/pmrb

A prefeitura da capital faz entrega nesta manhã de segunda, no pátio da Ceasa, às 7h30min – dos novos ônibus que vão circular na cidade melhorando o sistema de transporte coletivo.

Serão 16 novos ônibus.



Pense nisso

O vídeo do PT que foi veiculado foi proibido pelo TSE de ficar saindo na TV.

Razão: o vídeo mostrava os fantasmas de um Brasil do passado.

O Brasil do PSDB.

O país do desemprego.

Juros altos, etc…

Que ninguém quer mais de volta.

O vídeo foi um nocaute nos tucanos e na direita.

Porque é verdadeiro.

Foi vetado.

Agora se veta o vídeo do PT porque mostra o que foi o governo tucano, mas não se veta o mesmo PSDB e a imprensa fazendo escarcéu todo dia na TV contra o governo Dilma.

Ou seja, pode se mostrar os problemas de hoje, e até aumentá-los, mas não se pode mostrar o Brasil do desemprego da era tucana.

É pra pensar mesmo.

Se não viu o vídeo, aproveite enquanto dá para ver.



Até a Maria floriu…

Olha ela aí toda fazendo pose.

maria flor



Vídeo – Deu certo (o milagre veio nas cordas)

Noite de domingo no principado de Sena.

Pe. Paolino toca o sino da igreja chamando os fiéis para o Arraial.

Muitas galinhas para vender no bingo e leilão.

Pois, é:

Uma só penosa foi arrematada ontem à noite por mil reais.

O sino faz milagres.

E quando é o Paolino que puxa a corda…

Veja em vídeo como foi o milagre



Crônica de um povo que resiste ao ‘caos’

[O Brasil precisa mudar mais. E não voltar a ser o paraíso dos mervais, jabores, aécios, armínios e dos patéticos que amam a Ellus e detestam o povo brasileiro]

Por Rodrigo Vianna
Escrevinhador

Começo da noite numa quinta-feira friorenta em São Paulo. O barbeiro que cuida do que restou de meu cabelo recebe-me preocupado: “Rodrigo, o que tá acontecendo no Brasil?” E ele mesmo responde: “acho que estão querendo derrubar o PT”.

O barbeiro está ressabiado com a onda de violência e pessimismo. Além da barbearia, mantem um pequeno sítio no interior paulista – onde produz mel. Comprou, com financiamento do PRONAF, caminhonete nova para transportar o produto… Longe de ser petista, ele se tornou fã de Lula. E observa tudo, inclusive a onda midiática antiBrasil, como um apicultor observa suas abelhas: há muito zumbido, risco de picadas; mas é preciso produzir o mel.

Corte para 24 horas antes. A moça que faz a limpeza em casa pede pra ir embora mais cedo. “Está uma bagunça na zona sul, Seu Rodrigo. O terminal de ônibus está fechado. Esse povo não tá contente com nada?”. Ela faz planos de abrir um pequeno comércio com o marido. Não leva uma vida maravilhosa. Longe disso. Mas sabe avaliar o que era o Brasil há 10 anos. E o que é hoje.

Conto isso tudo para meu filho, de 18 anos. E ele diz que o garçom – que o atendia dia desses num boteco em São Paulo –  também mostrava desconfiança diante do “caos” que emana das telas e das ruas: “isso aí é jogada política, pra mudar de governo na eleição.”

Sim, o povão está começando a fazer sua leitura dos fatos… Como dizia Brizola (clique aqui, para relembrar o discurso memorável do velho Leonel, durante campanha no Rio, em que ele dizia como enfrentar a Globo e seus aliados):

“As pessoas sozinhas, apenas com seus valores originais de ser humano, no uso da razão e do bom senso, sozinhas, se defendem, constroem uma espécie de uma carapaça, de uma proteção entorno da sua mente, de seus valores culturais, daquilo que é original na nossa gente, esse povo assimila o que lhe interessa e se defende da pressão [midiática] contra sua cultura, contra seus valores, contra seu pensamento autêntico.”

Rodrigo Viana – escrevinhador


Por hoje, FIM