Começa o jogo eleitoral… Então conheça o Manual do Eleitor

justiça eleitoral

Um comercial grátis para o TRE:

[Copiado do sítio oficial do Tribunal Regional Eleitoral]

O Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) disponibilizou na Página das Eleições de 2014, em seu portal de Internet, o Manual de Orientações ao Eleitor. O documento aborda de forma simples, por meio de perguntas e respostas, diversos temas relacionados aos serviços, obrigações e direitos do eleitor.

Além disso, o material traz importantes informações sobre as eleições de 2014, como quem é obrigado a votar, qual documento deve ser apresentado no dia da votação e como consultar o local de votação.

Ao todo, são 38 páginas com temas que vão desde a emissão do título de eleitor a crimes eleitorais. Segundo o presidente do TRE-AC, desembargador Adair Longuini, o manual é um importante canal de comunicação entre a Justiça Eleitoral e o cidadão.

Clique aqui e saiba tudo

Em tempo: as TVs e rádios do Brasil recebem milhões e milhões por conta da transmissão do Horário Gratuito na TV e Rádio.

Em tempo 2: nada é grátis.



A confusão continua na Oposição

 

Depois de rachar com os aliados, a pastora volta atrás e faz uma nova composição.

Seu indicado à segunda suplência do doutor GladsonC parece que dessa vez vai.

Silvânia soltou um comunicado afirmando ter desistido de concorrer como segunda suplente do doutor.

O que fez muito bem.

Ou seja, vai chegar o dia da votação e a Oposição falsa, como diz o Boca, do Demo, não define a sua chapa completa.



Via Juruá 

 

Em Cruzeiro do Sul dizem que a relação entre entre GladsonC e seu primo James Cameli, dono do maior meio de comunicação da região do Juruá, não é das melhores.

Aparentemente, GladsonC se ressente que o primo esteja em alta conta com o governador Tião Viana.

A construtora de James deverá construir as casas do Minha Casa, Minha Vida, já anunciadas pelo governo.

Agora uma coisa é certa:

James está completamente fora do palanque do MBittar e sua vice.

‘Çem Nossaum’

“Vocês deveriam votar em mim. Se não fosse eu, o MC Catra não teria vindo para Cruzeiro do Sul”,

A frase é atribuída ao Fagner Sales para estudantes de Cruzeiro.

Sem comentários.

‘Çem Nossaum’ 2

Segundo moradores, o mesmo Fagner já andou pela comunidade São Luís apertando mãos e pedindo votos.

É a mesma comunidade que seu pai, o prefeito Vagner alega pertencer ao Amazonas e que ainda é assistida pela prefeitura do Guajará.

Nem a promessa de uma simples camada vegetal para o ramal que dá acesso à comunidade foi cumprida.

Truculência

Cansada de promessas não cumpridas, a comunidade decidiu prender uma das máquinas da prefeitura de Cruzeiro para exigir um trabalho de qualidade no ramal.

A PM foi chamada no local, e sem um negociador da prefeitura, a ação acabou em conflito.

Teve gente presa e manifestação na delegacia.

Tomou Doriu

Na prefeitura, dificilmente se acha Vagner Sales, em campanha full time pela mulher Antônia e pelo filho, Fagner.

A prefeita em exercício também faz parte do clã: Rocilda Sales.

A família em primeiro, segundo e terceiro lugares.

Depois…

Quem sabe os outros.


 

Pé-quente!
tiao e perpetua brasil

 

Eles começam a entrar em campo.

Brasil venceu outra.

O Acre também vencerá.


 

O que tem de ser, será!
neymarjr1


autor – jrbrana

Neymar, o rei do piscinaço?

Donde estão agora os que dizem que Neymar é um artista do ‘piscinaço?’

Piscinaço’ é um termo usado pela mídia da España para definir as puladinhas do craque Neymar para se livrar dos brucutus tipo o lateral direito Zúñiga.

Que o quebrou literalmente.

E nem levou cartão amarelo.

Mas a imprensa colombiana cobrou – e cobrou muito – a expulsão de Júlio César depois de fazer o pênalti.

Pois, é.

Agora o Brasil está sem sua estrela.

Que alguns acreditavam ser um farsante e que vivia dos piscinaços.

Não era.

Com uma das vértebras quebrada, o garoto Neymar está fora do mundial no seu país.

E na próxima terça já teremos a Alemanha pela frente.

Que será decantada nos próximos dias como o melhor de todos os times… blá blá blá…

Até enfrentar o Brasil.

Porque a velha mídia monopolista vira-lata – e coxinha – está torcendo pela derrota da seleção desde que Lula trouxe (eles não suportam isso) a Copa para o Brasil.

Que continue assim.

O Brasil voltará a campo para vencer.

E o que tem de ser, será!

[João Roberto Braña Bezerra]

 



Os grupos de mídia não estão à altura do país

 

Autor – Luis Nassif

A Copa do Mundo desnudou um dos maiores e mais relevantes problemas do país: o déficit de informação.

Talvez tenha sido o maior desastre jornalístico da história, mais do que o episódio das Cartas de Bernardes, o Plano Cohen ou a manipulação inicial sobre o movimento da diretas. Isso porque revelou métodos anti-jornalísticos não apenas para o público mais politizado e bem informado, mas em cima de um tema nacional  – o futebol. E no momento em que as redes sociais já haviam acabado com a exclusividade que a mídia detinha na disseminação de notícias.

O episódio abriu uma enorme brecha na credibilidade dos grupos de mídia, em cima de pontos centrais:

A não confiabilidade das informações.

O fato dos grupos colocarem seus objetivos políticos acima do próprio interesse do país.

A informação correta é elemento central não apenas para a democracia como para o mercado.

Milhares de comerciantes, hotéis, pontos turísticos foram prejudicados pela redução do fluxo internacional provocada pelo terrorismo praticado pelos grupos de mídia em cima de informações falsas.

***

E, fora da Copa, quais os critérios de análise de políticas públicas?

A política econômica é a de maior visibilidade devido aos indicadores existentes: PIB, contas externas, investimentos públicos e privados, emprego, questões fiscais etc. E nesse item o governo Dilma vai mal.

***

Mas o governo Dilma não é apenas isso.

Há uma frente social importante, com o Bolsa Família, Brasil Sem Miséria, Luz Para Todos, Brasil Sorriso, Pronatec etc. Nesse campo, as informações são escondidas.

***

E nos investimentos públicos? Tome-se o caso do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). É um programa bem sucedido ou não?

Há duas fontes de informação: os grupos de mídia e o governo.

Do lado dos grupos de mídia, a fiscalização do PAC segue a receita padrão Copa do Mundo. Se uma obra está 90% completa, a reportagem é sobre os 10% que faltam. Como o PAC engloba centenas de obras, basta selecionar algumas que não deram certo para passar ao leitor a sensação de que nada deu certo.

Ontem caiu um viaduto em Belo Horizonte. A obra era de responsabilidade da Prefeitura. As manchetes online dos grupos de mídia debitavam a queda ao PAC. Dá para confiar?

***

Do lado do governo, é o oposto. Basta selecionar uma dúzia de obras que deram certo, para supor que o conjunto deu certo.

Depois, esse caos de informação é potencializado pelas disputas nas redes sociais.

***

O próprio PAC tem um balanço bem feito, financeiro e físico. Mas não  há um balanço qualitativo nem o peso das obras em relação às necessidades totais do país.

Por exemplo, o PAC divulga todas as obras rodoviárias que estão sendo feito ou já foram completadas. O que significam dentro da malha total brasileira? São significativas ou atendem a apenas um percentual ínfimo das necessidades?

O mesmo em relação as obras ferroviárias, à transposição das águas do rio São Francisco, às hidrovias.

***

Em suma, tem-se um país moderno e um país anacrônico. Gestão pública consegue avanços mas grupos de mídia, até agora, não conseguiram atravessar o Rubicão da modernidade.



Vídeo – Garota colombiana economiza 4 mil dias e banca pai na Copa

12 anos juntando dinheiro para agradar o pai.

Deu até para trazer toda a família.

¿Hermosa chica, no?

Fonte: TV Caracol


Por hoje, FIM