Flaviano admite que Tião Viana e Perpétua estão na dianteira

flaviano melo
Foto: agazetanet

Por acaso encontrei com o deputado federal Flaviano Melo numa telefônica da cidade.

Claro, estávamos lá para resolver problemas das nossas linhas.

Eu da minha, minha.

E ele da institucional, que é paga pela Câmara dos Deputados e que, agora na campanha, ele não pode usar para pedir votos.

Reclamamos dos serviços das telefônicas (internet e ligações mesmo) e ele disse que já fez um trilhão de pedido em Brasília para que o problema seja resolvido.

-A internet aqui no Acre é muito ruim – concordamos.

Como até o mundo florestal sabe, Flaviano é o dono do PMDB no Acre há 20 séculos e tenta de novo continuar parlamentar.

-Tenho os meus votinhos. Os mais antigos que votam em mim – deixou escapar durante a conversa.

Não poderia perder a oportunidade…e:

-Como o senhor  tá vendo a eleição?

-Eu acompanho pesquisa sempre.

-Quais os números que o PMDB e a Oposição têm?

-Os  que tenho o Tião Viana está na frente com quase 50%…47% e o Márcio (ele quis dizer MBittar) vem com vinte e poucos, 26,  e o Bocalom tem 13 e vai desaparecer.

-O Bocalom  já era?

-Pela tendência, sim. E acredito no segundo turno com Tião Viana e MBittar (claro que ele falaria em segundo turno pra mim).

-Sei não… Acho que o governo vai ganhar mais fácil do que na vez passada.

Entrei no senado:

-Por que a campanha do doutor GladsonC  não decola?

-Ele já fez muitas besteiras, mas tá bem… tenho andado com ele.

-Que besteiras o doutor fez?

-Esse negócio dos suplentes… (Flaviano não falaria tudo que pensa pra mim)

-Tá feia a coisa pra ele. Hoje ele só venceria a Perpétua em Cruzeiro e  começou apertar também..

-É, Lá ele ganha, aqui na capital ela vence, mas ele vai melhorar.

A conversa ia longe, ele queria papo, mas eu fui chamado para ser atendido e nos despedimos.

Bem, Flaviano é o que podemos chamar de ‘piolho de pesquisa’.

Ele sabe tudo sobre os índices de preferências nas eleições do Acre.

Ele acompanha de perto.

Tem sua estrutura montada no Estado.

Por isso (e não só por isso) é o maior quadro do PMDB há muito por aqui.

Tanto que falou dos números do governo e da Perpétua, o que eu já sabia.

Fazia tempo que não via Flaviano.

Achei ele mais leve, saudável.

No passado tivemos muitos atritos.

Ele no governo e eu no Sindicato dos Bancários.

Foi um tempo difícil no Estado.

Fizemos (eu, Taboada, Maria Antônia, e Perpétua em Cruzeiro) muitas denúncias contra o seu governo.

Que teve méritos e muitos deméritos.

No inverno europeu do ano de 2004 entrevistei Carlos Abrantes, na cidade do Porto, e Flaviano e todo o PMDB me odiaram por isso.

O PMDB acusou o governo Jorge Viana de estar por trás da entrevista.

A única pessoa que no Acre ficou sabendo antecipadamente que eu entrevistaria Abrantes foi o deputado peemedebista, pasme, João Correia,

Nas conversas rotineiras na Assembleia, durante as sessões, disse ao JC que falaria com Abrantes.

A entrevista (até hoje ninguém mais entrevistou Abrantes depois que ele saiu do Brasil) teve muita repercussão no Acre.

Abrantes foi um secretário poderoso do então governador Flaviano, mas na conversa comigo detonou seu ex-chefe por todo seu sofrimento e exílio.

Hoje Flaviano fala comigo tranquilamente.

Em verdade, sempre falou.

E continua sabendo que estou em lado político contrário ao seu.

Mas a vida ensina que é preciso ser civilizado, tolerante, amplo e conviver com todos.

Porque todos (quem sabe a maioria, pelo menos), em algum momento, começam a melhorar como pessoas.

Ainda bem.



Última homenagem ao Chico Jararaca

enterro chico jararaca
Foto: cedida à coluna

Filhos, sobrinhos e amigos dão adeus a Chico Jararaca, 92, Soldado da Borracha, acreano do Juruá.

Pai de 15 filhos.

Perpétua e irmãos presentes.



Renda per capita do Acre comparada ao país Dominica

renda per capita

 

Localizada na América Central, Dominica foi colônia francesa e depois foi cedida aos ingleses.

É uma democracia parlamentarista.

Tem 72 mil habitantes e vive do turismo.

Ficou independente só em 1978.

Posição do Acre semelhante à de Pernambuco, que também tem PIB per capita igual à Dominica.

Veja os outros estados.

O Distrito Federal, maior PIB per capita, é comparado à Itália.


 

Lula na campanha de Dilma (série)

-Jovem, ponha o pé na calçada e construa o mundo que você deseja


Assista
: 2min12s


 

Por hoje, FIM