Fundamentalistas adoram pregar suas mensagens hipócritas

 

J R Braña B.
Que os meninos estudantes da Ufac cometeram um desrespeito aos que creem na existência divina, isso já está muito claro.

E, pelo visto, já pediram desculpas.

Não precisa que eles sejam jogados à fogueira até queimarem completamente.

Universidades são centros onde ideias são difundidas e assimiladas.

São nas academias onde se menos leva a sério a religião e seus dogmas.

Por motivos óbvios.

Não deixemos, portanto – que os aproveitadores/oportunistas/fundamentalistas religiosos tirem proveito de uma ação pouco pensada desses jovens estudantes.

O Brasil não precisa de fundamentalismo religioso.

O país precisa de Democracia.

De mais Democracia.

De respeito a todos – todos! – os credos.

E de respeito aos que não têm credo algum.

O Acre precisa desses jovens irreverentes que estão nas faculdades da vida.

E também não pode prescindir de religiosos importantes como o ‘marxista’ Pe. Paolino, que atua na sociedade real para melhorar a vida das pessoas.

Não para condená-las, como formulava e explicava  o velho filósofo alemão Karl Marx lá no século XIX em seus escritos sobre religião..

religião
Imagem manipulada publicada no sítio da BBC