A luta inglória dos produtores da zona rural contra o esperto ‘atravessador’

E nos mercados populares do Acre os espertos dominam de cabo a rabo o fruto que deveria ser de quem põe a mão na massa, de quem produz de fato na zona rural do Acre.

O ‘atravessador’ é o agiota duas vezes, pois é o que compra pelo preço injusto ao produtor e vende por um preço mais injusto ainda ao consumidor.

J R Braña B. – 

 

AgGov
Miriane Teles

“É melhor estar na feira que passar para atravessador”, diz agricultora

produtor

“É melhor estar na feira que passar nossos produtos para atravessador. Estamos há muitos anos revendendo, e agora temos a oportunidade de gerir nosso próprio negócio”, diz a produtora rural Ana Rosa de Lima.

Sua barraca reúne a produção de uma horta com banana prata e comprida, mamão, jerimum, melancia, batata-doce, coentro, quiabo, maxixe, pepino, entro outros itens. “Outras colegas me avisaram que estavam pegando o nome de quem tem colônia e queria escoar produção, e estou desejando o sucesso da feira”, conclui Ana.

Os produtos da agricultura familiar são prioridade. O que é possível encontrar também na Barraca Eterno Reino: “Frutas, verduras, polpa de cupuaçu, castanha e vários produtos naturais da nossa área que a gente produz”, apresenta os produtos Rejane Maia. A chácara de sua família é também no bairro Benfica, e ali está reunida a produção semanal de cinco pessoas.

A feira é permanente e fica na entrada do Ramal Garapeira, na AC-40, Vila Acre. São 60 barracas com a produção local, praça de alimentação e atividades culturais. O evento tem o apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Pequenos Negócios e da prefeitura de Rio Branco.