Falência da ‘Pronto Clínica’ mostra que a saúde pública do Acre avançou muito

 

J R Braña B. – 

Sem conseguir se modernizar como unidade de saúde privada e sem conseguir sobreviver sem a ajuda do estado, a ex-importante Pronto-Clinica (que já foi uma mina de dinheiro no Acre para os seus donos) perdeu espaço desde que o governo do PT assumiu o Acre por um motivo simples: os serviços de saúde público melhoram e a população passou a optar pelo SUS na sua grande maioria.

No Acre, até os que têm dinheiro, na hora do aperto sério, correm para o PS ou a Fundação.

As dificuldades financeiras (em vias de fechar) dessa casa privada de saúde, exposta hoje pelo Acre24horas, é a constatação de que a saúde pública acreana é uma das melhores do Norte.

Hoje nem se ouve mais falar em Pronto-Clínica e outras clínicas particulares que na década de 80 (tempo da oposição no poder) dominavam os atendimentos (pagos) de saúde na capital.

E dominavam por quê?

Porque a rede pública, os hospitais do Estado eram sucateados e viviam em frangalhos…era uma desordem completa e um descompromisso revoltante dos governos de plantão.

Todos governos dessa mesma oposição que hoje diz que tudo no Acre está errado.

Hoje há ainda muitos problemas, mas a saúde pública do Acre é confiável.

Quando se fala em emergência real em Rio Branco  todos só falam no PS ou Fundação, por suas UTIs em boas condições.

Por isso é importante o fortalecimento da saúde pública, do SUS…!

O SUS é o maior plano de saúde do mundo (gratuito para cada cidadão brasileiro), mesmo com todos os problemas.

Enfim, pode-se dizer que nas duas últimas décadas a saúde pública do Acre venceu os desafios.

Que continue vencendo!

Porque na saúde os problemas nunca findam.

Como na vida.

J R Braña B. – 

medicina comercial
Foto publicada no sítio Ac24h