PV de Sena ardendo em chamas para decidir vice

J R Braña B.

 

Antiecológico!

Depois da pressão pública do vereador Mastroiane Furtado (aqui chamado de Dolce Vita) para ser ele o vice da chapa do Partido Verde na disputa para a prefeitura de Sena, o PV vive dias de tensão aguda.

Primeiro, há uma negociação em curso entre os verdes e o PT para a formação da chapa.

E que está prestes a se decidir.

Mais: segundo consta, a candidata do PV à prefeitura em Sena quer o PT de vice, por motivos óbvios.

E não é só ela que quer: é toda a articulação que viabilizou sua candidatura no município.

Traduzindo: a candidatura do PV em Sena não pertence somente ao PV, pois foi uma construção do PT de Rio Branco contra o prefeito Mano.

Não é à toa o apoio de deputados estaduais do PT e do próprio presidente da Aleac ao nome de Charlene Lima.

Em troca, o PT quer e terá (dificilmente não terá) o vice de Charlene.

É questão de tempo.

De dias.

De mais algumas horas a partir de agora em que este texto está sendo postado.

Segundo, o vereador Mastroiane é um bom nome para vice e conta como apoio do deputado ecologista Nelson Sales (será mesmo para valer esse apoio?).

Afinal de contas, o deputado Nelson participou desde o começo de todas as conversações para a candidatura de Charlene em Sena e sabe exatamente o que o PT queria e quer.

Por isso, Mastroiane, abre os olhos.

Terceiro, a política ensina que candidatos majoritários não se escolhem.

Candidatos a presidente, senador, governador (vice), prefeito e vice são escolhidos em acordos e consensos.

Candidatos majoritários não brigam eles próprios pela indicação, mas outros brigam por eles.

Mastroiane tem esticado a corda demais em favor de si mesmo.

Não é assim: vice tem que ser consenso dos apoiadores.

O vice é consequência e é a cereja do bolo do candidato.

Candidato a vice não se indispõe para ser candidato a vice.

Quem pensa em ser vice tem que ficar quieto e esperar o convite e o consenso dos aliados.

Vice serve para unificar, não para criar cizânia.

Vice entra numa chapa com todos sorrindo e apoiando seu nome e não o contrário.

Escolha de vice é a consagração de uma chapa de sucesso e com chance de ganhar.

Não pode ser cabo de guerra, pois enfraquece o candidato principal.

Vice em qualquer coisa pode ajudar muito como pode desvirtuar um objetivo estratégico.

E aí já era…

O PV, seus principais dirigentes, sabem disso e estão pisando em ovos, pois sabem que o PT tem, digamos, preferência para compor a chapa.

Só um acontecimento extraordinário não unirá em Sena PV/PT.

O que faz Mano, o candidato oficial à reeleição,  nesse jogo todo?

Procura trazer para o seu lado os descontentes do PT.

De certa forma tem conseguido.

É um jogo de xadrez e muitas pedras ainda estão por ser mexidas.

Novela mexicana PV/PT em Sena próxima do The End.

pv