Cinzentos do Ipê perdem a primeira na justiça e muro permanecerá intocável

A arte dos grafiteiros da capital no muro da residência de Edvaldo Magalhães e Perpétua Almeida vai continuar, pelo menos por enquanto.

Decisão em caráter liminar (não é definitiva ainda) determina que o Residencial Ipê (onde mora os lordes de Rio Branco) não pode ‘remover as pinturas gravadas’ do muro da casa de Edvaldo e Perpétua..

Por enquanto Arte 1 x 0 Cinzentos do Ipê.

A decisão abaixo é da juíza Thaís Queiroz B. de Oliveira A. Khalil:


(…)

(…)

(…)


Repercussão nacional…: