BB e Caixa acuam governo a não suspender Consignados

bb caixa consignados #

O cinismo desses bancos (BB e Caixa) não tem limite…mas esses daqui que foram ao governo falam sob orientação de suas matrizes (que agem agora, sob o desgoverno Bolsonaro/Guedes, como instituição privada, mesmo diante de uma pandemia mundial).

bancos
Representantes locais do BB e Caixa vão governo pressionar para que os descontos dos empréstimos consignados não sejam suspensos por 90, conforme PL aprovado na Aleac

A informação é do próprio governo do Acre (com grifos nosso)


Bancos alertam governo para inconstitucionalidade de PL sobre empréstimos consignados

 

Representantes do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal procuraram nesta sexta-feira, 3, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Casa Civil, Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict), para alertarem sobre os riscos de distorções acerca das informações repassadas aos servidores públicos sobre as renegociações de empréstimos consignados.

[‘alertar’….leia: pressionar, acuar]

(…)

O superintendente do Banco do Brasil no Acre, Márcio Carioca, fez questão de esclarecer que a concessão/renovação dos empréstimos com aplicação de carência de até 6 meses já está entre os serviços oferecidos aos servidores públicos clientes dessa instituição.

[Ohh…que bonzinhos!]

(…)

Carioca enfatizou que o Banco do Brasil é um parceiro do Governo do Estado e que suas relações com os clientes servidores públicos estão sujeitas às regras constitucionais, sendo necessário seguir as orientações de esfera federal.

(…)

[Parceiro? O tesouro do Acre concentra bilhões no banco e a contrapartida qual é?]

(…)

(…) Portanto, muitas informações divulgadas na imprensa podem gerar uma expectativa equivocada nos servidores públicos,

[‘expectativa equivocada’…cinismo é pouco…equivocada é a política desses bancos parasitas]

(…)

A preocupação dos bancos diz respeito à aprovação, por parte da Assembleia Legislativa, do Projeto de Lei que suspende a cobrança em consignação de débitos contraídos por servidores públicos, uma vez que a dívida não será anistiada, mas suspensa para posterior pagamento. “Essa situação, caso se confirme, trará diversos impedimentos a novas contratações e renovações”, afirmou ele.

[Boa parte dos servidores já vive enrolada nesses bancos…os impedimentos são grandes…são bancos seletivos…tudo para os que já têm e porta na cara para os que precisam, como pequenos empresários]

(…)

O superintendente-executivo de Governo da Caixa Econômica Federal no Acre, Ismael Lima, disse que os contratos firmados entre bancos e clientes são privados e regulamentados por lei federal.

[Um gênio… o parlamento e o executivo podem regular diferente em momento de flagelo]

(…)

Casa Civil 

O secretário de Estado da Casa Civil, Ribamar Trindade, e o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Ricardo Brandão, agradeceram a iniciativa dos bancos e afirmaram que o governo está consciente de que se trata de uma discussão no âmbito constitucional e federal, e ainda, de uma relação privada entre o servidor público (cliente) e a instituição financeira (banco) que assinaram o contrato de empréstimo consignado.

[Equívoco, secretário!…o Estado, diante das necessidades, pode estabelecer novas regras para salvaguardar o interesse público)

J R Braña B. (nos grifos)