Vice-Gov Rocha fala em ‘gabinete do ódio acreano’ contra ele

vicerocha

Gabinete do ódio acreano nos moldes do bolsonarista em Brasília?…quem denuncia é o vice-governador do Acre, Major Rocha.

rocha
Vice Rocha

De próprio punho na sua página no facebook:

UM GABINETE DO ÓDIO PARA CHAMAR DE SEU

Faz tempo que venho sofrendo ataques coordenados de comissionados nomeados diretamente pelo Governador e veículos de comunicação pagos com recursos públicos.

Dias atrás, um desses comissionados me desafiou quase que para um duelo. Lembro de ter pedido providências à Casa Civil do Governador, essa por sua vez fez ouvidos moucos e sequer respondeu ao meu pedido. Claro que a conclusão que cheguei não poderia ser outra a não ser que o dito comissionado estava apenas cumprindo ordens de alguém.

Nos bastidores correm as histórias de cooptações, pressões, perseguições e estratégias nada republicanas para tentar minar aliados até mesmo aqueles que alguém acha que podem ser adversários. Alguns permanecem firmes, mesmo com o risco de serem exonerados, já outros se deixaram cooptar. Lamentavelmente caráter e lealdade não são qualidades comuns na política.

Ontem compartilhei um vídeo do jornalista Silvio Santos Oliveira. Nesse vídeo, em um desabafo recheado de informações interessantes, ele relata que foi exonerado por não apoiar, segundo ele, a “candidata petista” do Governador. Não estaríamos diante de um caso típico de abuso de poder?

Ele também atribui a sua exoneração ao fato de haver compartilhado uma postagem minha com críticas a FÊNIX/AVANCARD. Quem será o padrinho forte dessa empresa manauara que cobra juros extorsivos dos servidores acreanos?

Agora para mim a informação mais grave é a de que a “máquina pública estaria sendo utilizada para beneficiar a mídia local para atacar o vice-governador”. Seria essa a razão da secretaria de comunicação me negar o acesso às informações dos gastos com a mídia que deveriam ser públicos?

Não bastasse a gravidade das situações até aqui levantadas, que apontam supostos indícios da utilização de recursos públicos e de cargos comissionados para atacar a mim e a outros políticos, agora os ataques estão alcançando também membros do judiciário acreano. Pior ainda, deixando as digitais dos prováveis mandantes desses ataques.

Diante da gravidade dos fatos me resta indagar:
– Será que estamos diante de um “Gabinete do Ódio” acreano?
– Será que o povo acreano está pagando para manter uma milícia digital para atacar a honra e denegrir as pessoas?
– Será que os recursos da verba de mídia, que podem superar a casa dos 10 milhões até o final do ano, podem estar ajudando a financiar uma organização criminosa nos moldes da que é investigada em Brasília?
– Será que não estamos diante de ilícitos administrativos, cíveis, criminais e eleitorais?
Esses e outros questionamentos só serão esclarecidos após uma investigação criteriosa que irei solicitar junto à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal.