Fundação Abrinq: No Acre a cada mil nascidos 19 não sobrevivem

criançaabrinq

Fundação Abrinq

abrinq

No item taxa de mortalidade infantil, por exemplo, o Acre está entre as 5 maiores taxas de mortalidade para cada mil nascidos vivos, que são: Amapá tem a maior (22,6) seguido de Roraima (22.4), Acre (19,4) e Amazonas (19,2) e Sergipe (19,2). A média nacional é 14,4.


A Fundação Abrinq divulga a edição 2021 do Cenário da Infância e da Adolescência no Brasil, reunindo diversos indicadores sociais, como educação, mortalidade, gravidez, matrículas em creche, trabalho infantil e violência. Anualmente, desde 2014, essa publicação é lançada com o objetivo de traçar um cenário sobre a situação da infância e adolescência no país.

Todos os dados utilizados na publicação são de fontes públicas e ajudam a avaliar o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, compromisso global do qual o Brasil é signatário para a promoção de desenvolvimento justo, inclusivo e sustentável até 2030.

A maior parte desses indicadores também está disponível no Observatório da Criança e do 
Adolescente, onde é possível comparar dados entre regiões, estados e municípios brasileiros, gerar planilhas e compartilhar as informações pesquisadas em redes sociais.

O estudo Cenário da Infância e Adolescência no Brasil 2021 pode ser baixado no site da
Fundação Abrinq em www.fadc.org.br/publicacoes

(…)