Se o governo vai atender saúde, pode também atender educação

#governo

solução seletiva

A saúde suspende a greve inciada na segunda-feira após promessa do governo de atender parte das reivindicações apresentadas pelo sindicato. Que bom se for mesmo cumprida a promessa.

Já os professores seguem em greve porque a proposta apresentada pelo governo é uma proposta fake, ou seja, não é um proposta séria.

O governo avalia a greve dos servidores das duas categorias de forma reta:

Na saúde, a greve não pode demorar porque aumentam os problemas na rede hospitalar e o público sente de imediato e sobra para o governo politicamente…Já na educação, o prejuízo é em médio e longo prazos e isso não preocupa o governo imediatamente. Educação não é prioridade! Nunca foi!

Entende agora a situação e o tratamento seletivo do governo?

J R Braña B.