Bolsonaristas perseguem padres no Ceará

#padres

Publicado originalmente em Escrivaninha:

padres

Por Dayanne Borges e Ricardo Moura

“Brasil acima de tudo. Deus acima de todos. Missa Paróquia Paz hj. Botamos os comunistas pra correr”. A mensagem de voz que circula no whatsapp dá conta de uma bem-sucedida ação promovida na Igreja Matriz da Paróquia da Paz, nesse último domingo, dia 18, por bolsonaristas. Um militar reformado expõe ao interlocutor suas impressões sobre a presença ostensiva e organizada de opositores na celebração a fim de impedir que pautas que não fossem de interesse do grupo fossem abordadas na missa. O conteúdo do áudio é o que segue:

“Domingo passado não foi a confusão que o MST, os de vermelho, invadiram a igreja e leram o manifesto da Covid, do genocídio no meio da missa? Um padre filha da puta que é um padre comunista safado… Aí o pessoal se revoltou, os militares combinaram tudo de ir pra missa. Estava cheio de general, coronel, foram tudo de verde e amarelo. Não apareceu um dos vermelhos. Os padres pediram arrego, perdão… “Aqui é pra rezar”… Já afastaram o padre lá. Da outra vez estava cheio de militar. Foi uma beleza a missa com a nossa presença lá. Era os militares tudinho, meu irmão. Tinha carro de polícia lá fora, tinha tudo que o Camilo tinha mandado desde o domingo passado para proteger o MST. Não apareceu um. Dizendo que iam pro confronto e tal. Cheio de militar lá tudo de verde e amarelo, Brasil. O padre não falou em Covid, não falou em nada, só fez dizer que era a casa Deus, que perdoasse, que o lugar era de missa. Foi bom, tem que marcar a posição, não pode deixar esses filha da puta ocuparem os espaços nãos. Até dentro de igreja lendo manifesto comunista da CNBB, bando de filha da puta. Foi bom, um abraço”.