STF aprova Federações Partidárias (a roda gira)

#stf

stf

Por dez votos a um, os ministros do Supremo Tribunal Federal consideraram constitucional a formação dos blocos entre os partidos e, por seis votos a quatro, definiram o dia 31 de maio como data limite para formalização das federações. (…) O relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, ajustou o seu voto após ter recebido líderes partidários, que achavam o prazo para a formação das federações muito apertado para este ano. ‘Fui sensível, em parte, pelo menos, a esses argumentos trazidos pelos partidos políticos e seus advogados’, afirmou ao ler o seu voto o ministro, que propôs 31 de maio como a data limite. (…)O único que votou contra foi o ministro Cassio Nunes, indicado por Bolsonaro…O terrivelmente evangélico, André Mendonça, também da cota do ‘mito’ votou a favor.

Em tempo: a criação da Federação partidária é um avanço democrático no Brasil…vai possibilitar a junção de partidos do mesmo campo político por um período de quatro anos….isso é fundamental na vida política brasileira…vai facilitar a compreensão política da sociedade também e seus vários partidos e ideias….na prática também é uma redução de siglas sem acabar necessariamente com os partidos. Ideia inteligente de Haroldo Lima defendida ainda na Constituição de 1988.

J R Braña B.