Pecuária: Por que é importante comprar touros com avaliação genética?

#touro

touro
Foto: divulgação

Por que é importante comprar touros com avaliação genética?

 

Ao adquirir um reprodutor, o pecuarista busca um macho que seja fértil e capaz de transmitir genes que contribuam para melhorar os índices zootécnicos da fazenda. Mas como saber se um touro tem potencial melhorador?

A ciência já mostrou que informações de pedigree e avaliação visual sozinhas não são eficazes para determinar a qualidade de um reprodutor. A melhor maneira de medir o valor genético de um touro é pela avaliação genética.

Mas, afinal, o que é avaliação genética?

Segundo o professor José Bento Sterman Ferraz, geneticista da USP Pirassununga, avaliação genética é a melhor predição possível do que um reprodutor, ou matriz, tem para transmitir para as próximas gerações. Ele complementa: “Precisamos nos lembrar que quando compramos touros, matrizes ou sêmen não estamos comprando um animal, mas sim a qualidade de seus filhos”.

Na prática, avaliação genética nada mais é que a predição de DEPs (diferenças esperadas na progênie) a partir do processamento de uma série de dados de cada animal do rebanho. Com as DEPs em mãos, é possível classificar os animais de acordo com o seu valor genético e identificar os indivíduos superiores para uma ou mais características.

Por exemplo, se o touro A tem DEP de Peso à Desmama de 5 e o touro B de -2, isso quer dizer que os filhos do touro A serão desmamados com 5kg a mais que a média do rebanho, enquanto os do touro B ficarão 2kg abaixo. Na comparação entre os dois, a diferença no peso médio à desmama da progênie será de 7kg em favor do touro A. Vale lembrar que só é possível comparar DEPs entre touros de um mesmo programa de seleção, já que os números são sempre relativos à média da base de comparação.

Apesar do conceito ser simples, o cálculo das DEPs requer a aplicação de modelos complexos, capazes de considerar um grande volume de dados coletados a campo e, no caso do Programa de Seleção da CFM, também informações genômicas, além de todas as relações de parentesco entre os animais do rebanho.

O Programa de Melhoramento Genético da CFM surgiu em 1980 já com o foco de selecionar animais da raça Nelore a partir de uma avaliação objetiva, apoiada nas mais modernas técnicas de melhoramento animal. A CFM foi pioneira no uso de DEPs e conta, há mais de 25 anos, com a parceria dos geneticistas da USP Pirassununga para realização da avaliação genética do rebanho. Em pouco mais de 40 anos de seleção, a CFM já produziu mais de 45 mil touros e seus bancos de dados contam com mais de 540.00 animais medidos.

Vem aí mais uma safra de touros Nelore CFM

A avaliação genética dos animais nascidos em 2020 na CFM acaba de ser concluída. Foram analisadas informações de quase 4 mil machos, incluindo dados coletados do nascimento ao sobreano. Todas essas informações foram processadas e incluídas na base de toda a avaliação genética do rebanho CFM.

“Essa fase é decisiva para identificação dos novos touros da safra, que serão comercializados a partir do Megaleilão Nelore CFM, em agosto”, informa Tamires Miranda Neto, gerente de pecuária da CFM.

A CFM comercializa somente os cerca de 30% melhores machos da safra, cumprindo as exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que regulamenta os trabalhos de seleção por meio do Certificado Especial de Identificação e Produção (CEIP). “Esse reduzido percentual impõe que apenas os reprodutores realmente melhoradores cheguem ao mercado”, explica Neto.

(Texto – Comunicação Corporativa)

oestadoacre