No limite: secretário diz que Acre não tem mais condições de manter haitianos

No limite: secretário diz que Acre não tem mais condições de manter haitianos

A situação dos haitianos que chegam ao Brasil usando o Acre como porta de entrada continua acontecendo na fronteira de Assis Brasil com Iñapari, no lado peruano. Embora o quadro atual seja diferente do apresentando em 2011, o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão, anunciou que o Estado chegou no limite financeiro para a assistência humanitária aos refugiados vindos do Haiti.

thumb_secretario_nilson_mouro_f_vale_1Atualmente estão registrados cerca de 150 a 170 haitianos em Iñapari. Desses, 46 já receberam permissão para entrar no Brasil, com sua documentação colocada em ordem, e agora podem procurar emprego no país.

Ainda segundo Nilson Mourão, um grupo de empresários se dirige ao Acre para contratar esses haitianos. Porém, a prestação de ajuda humanitária por parte do governo do Estado chegou ao limite. “Não temos mais recursos da secretaria para manter essa assistência. Mesmo sendo uma questão do governo federal, o governo do Estado já gastou cerca de R$ 2 milhões em ajuda humanitária com os refugiados haitianos. A contrapartida do governo federal foi de R$ 360 mil, além de oito toneladas de alimentos.”

Para Nilson Mourão, a necessidade agora é  intervir junto ao governo federal e conseguir mais recursos para a assistência humanitária. “Pessoas e disponibilidade para trabalhar nós temos, só nos faltam os recursos”, afirmou.
haitianos_leilson_miranda_13