20 milhões para piscicultura; governador fala em ‘classe média rural’

Tornar o Acre o endereço do peixe na Amazônia, criando uma classe média rural através da participação de pequenos produtores na cadeia produtiva. Este é o desafio imposto ao estado pelo governador Tião Viana e apoiado pela presidenta Dilma Rousseff. Para fortalecer este projeto ousado empreendido pelo governo do Acre, o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, assinou nesta quinta-feira, 6, em Rio Branco, convênio no valor de R$ 20 milhões, além de lançar o Plano Safra da Pesca e Aquicultura no estado.

programa_de_psicultsergio-vale_6Os recursos serão usados para construir novos tanques de piscicultura para os produtores rurais de baixa renda, agora, sem a necessidade de contrapartida. “Hoje, graças a sensibilidade do ministro Crivella (foto), da presidenta Dilma e do governador Tião Viana, os produtores que não têm condição de fazer um tanque, embora sonhem com isso há tantos anos, podem saber que vão realizar esse desejo. E não é só isso. Só um governador com o comprometimento do Tião Viana poderia nos fazer donos de um investimento deste tamanho. São R$ 53 milhões investidos num complexo de piscicultura e nós, através da cooperativa, podemos bater no peito e dizer que somos donos de 30% de tudo isso”, disse o presidente da Central de Cooperativas dos Piscicultores do Acre, Sansão Nogueira.

Para Crivella, o que está sendo feito no Acre no projeto da piscicultura e o Plano Safra da Pesca e Aquicultura, “são, definitivamente, o melhor caminho a ser seguido. Não se preocupem com o consumo. O Brasil importa metade do peixe que consome. O peixe não vai estragar. O país importou US$ 1,3 bilhões em peixe no ano passado. E aqui vocês tem outra vantagem: verticalizaram a produção. Vão produzir alevinos, a ração e processar o peixe. Não ficarão sujeitos a pressão de preço dos fornecedores”, explicou. A presidenta Dilma, segundo o ministro, destinou pelo menos R$ 200 milhões para compra de peixe em 2013. “A ordem é comprar todo peixe encontrado com qualidade. Isso vai ser inserido na merenda escolar”, disse.

“Temos um produtor em Brasileia que está investindo em tanques para criar peixes. Ele já cria galinhas caipiras, frangos, têm três mil pés de hortaliças plantados e tira em média, por mês, R$ 10 mil reais numa propriedade de 70 hectares. É isso que nós sonhamos pro Acre, que haja uma classe média rural, que os produtores possam sonhar com um futuro melhor pros seus filhos, com uma renda mais tranquila, que feche todas as contas no fim do mês. Queremos que o endereço do peixe no Brasil comece no Acre”, disse o governador Tião Viana.