Médico japonês chefia equipe do Instituto Evandro Chagas e faz pesquisa sobre nível de contaminação por Mercúrio em Sena

Uma equipe do Instituto Evandro Chagas está desde o dia 8 deste mês em Sena Madureira desenvolvendo um projeto que visa avaliar níveis de Mercúrio na população. Composto por pesquisadores e técnicos de pesquisa, o grupo conta ainda com o acompanhamento do Dr. Hirokatsu Akagi, considerado como um dos maiores especialistas em mercúrio do mundo.

equipe_mercurioOutro objetivo pretendido pelo Instituto é verificar se as pessoas apresentam alguma quantidade desse elemento químico no organismo, medido no sangue e no cabelo. O trabalho conta com o apoio do Governo do estado e da Prefeitura de Sena Madureira, através das secretarias de Saúde e Meio Ambiente.

Conforme foi repassado, este trabalho está acontecendo porque um estudo preliminar sobre a exposição ao mercúrio, desenvolvido na década passada em 10 cidades acreanas, verificou que duas cidades do estado (Manuel Urbano e Sena Madureira) apresentavam níveis alterados de mercúrio em alguns participantes. Em Manoel Urbano, o projeto foi realizado em 2012.

A equipe ficará em Sena Madureira até o dia 19 deste mês. Nesse espaço de tempo, 20 bairros serão visitados, nos quais será realizada uma amostragem de domicílios, objetivando a obtenção de uma adequada representatividade da população. A equipe do Instituto Evandro Chagas será acompanhada pelos Agentes Comunitários de Saúde de cada área.

De acordo com a pesquisadora e chefe da seção de meio ambiente do Instituto Evandro Chagas, Iracina Maura de Jesus, uma das formas de exposição ambiental ao mercúrio ocorre principalmente pela ingestão de peixes que contenham níveis alterados de mercúrio. “Aqui em Sena Madureira o Instituto Evandro Chagas também está fazendo um levantamento de espécies de peixes para verificar se esses níveis estão ou não dentro dos limites considerados aceitáveis pela legislação Brasileira”, adiantou.

O Dr. Hirokatsu Akagi, agradeceu através de seu intérprete, a receptividade em Sena Madureira e demais municípios acreanos por onde passou. Ele contou que em sua cidade, Minamata (Japão), na década de 1950, ocorreu um dos maiores acidentes do mundo com populações expostas ao mercúrio, onde milhares de pessoas adoeceram e muitos foram a óbito devido a intoxicação. “Recebemos o convite do Instituto Evandro Chagas e sempre estamos contribuindo. Os levantamentos são importantes para que haja um cuidado em tempo hábil”, acrescentou.

Dr._AkagiO médico Akagi [foto] é o criador dos métodos de análise de mercúrio e metilmercúrio reconhecidos pela comunidade científica por sua excelente qualidade e que são utilizados pelo instituto Evandro Chagas na determinação dos compostos de mercúrio em materiais biológicos e ambientais.

O secretário municipal de meio ambiente, Astério Vieira, considera de grande importância o trabalho que está sendo desenvolvido. “A equipe nos repassa conhecimentos relevantes. Estamos dando todo o apoio logístico para a execução do projeto”, acrescentou.

O mercúrio e os riscos para a Saúde

Domínio público – O mercúrio é um elemento químico presente na natureza e que pode ser tóxico ao organismo se as pessoas estiverem expostas a ele de forma aguda ou por um longo tempo, mesmo que a níveis não elevados. Possui formas químicas diferentes que podem causar diversos problemas à saúde.

O mercúrio também é lançado no meio ambiente na forma metálica ou como vapor e alcança os solos e rios, onde sofre transformações gerando outra forma de mercúrio que é a forma orgânica, conhecida como metilmercúrio, que se acumula nos peixes e pode alcançar a população pela ingestão de peixes que contenham níveis alterados de mercúrio.