Governador Tião Viana: ‘Não vou abandonar os trabalhadores’

“Estamos juntos, no sol e na chuva. Eu não quero saber de quem foi o erro no passado, na contratação destas pessoas. O que importa agora é que temos 11 mil famílias numa situação que precisa de total e irrestrito apoio”. As palavras do governador Tião Viana reforçam o compromisso do governo do Estado com os 11 mil pais e mães de famílias que ingressaram no serviço público sem concurso e agora, por decisão da Justiça, podem perder os empregos.

gov_e_servidoresNa manhã desta quarta-feira, 29, o governador Tião Viana, o procurador geral do Estado, Rodrigo Fernandes das Neves e o assessor do governo, Francisco Nepomuceno, se reuniram mais uma vez com os sindicatos que representam os trabalhadores para esclarecimentos. O compromisso do governo com estes servidores foi reafirmado.

“Desde o primeiro dia de governo este assunto é tratado com a mais absoluta responsabilidade e agora há um plantão permanente na procuradoria do Estado para atender sindicatos e trabalhadores. Agora é aguardar os dois votos que estão faltando no Supremo e torcer para que sejam favoráveis. Temos uma grande oportunidade de lutar de forma unificada e a caminhada ainda é longa. Estamos falando da vida de famílias”, disse o governador Tião Viana.

Para o sindicalista Frank Lima, do Sindicato dos Servidores da Saúde, a hora é de manter a união. “Estamos num momento em que a gente sabe da gravidade da situação, mas temos que nos manter unidos. Estamos agindo com muita cautela nas questões judiciais. Agora todo mundo está junto, o governo do Estado, Assembleia Legislativa, Procuradoria, mas a partir do momento que começar as ações judiciais o Estado vai ter que posicionar como Estado, a Procuradoria como Procuradoria e o Sindicato como Sindicato”.

Aloísio César, do Sindicato dos Servidores da Administração Indireta (Sindecaf), disse que é muito bom ver que o governador está determinado a construir uma situação acolhedora para os servidores. “Em termos jurídicos é muito difícil lidar com esta situação e uma palavra do governador significa um conforto. Estamos nos reunindo com os trabalhadores nos municípios para explicar o que está acontecendo, quais ações estão sendo feitas, e falando sobre o apoio do governador, da Procuradoria, do deputado Moisés Diniz. Não são 11 mil trabalhadores, na verdade são 11 mil famílias e acreditamos que o governo estará imbuído de encontrar a melhor alternativa”, ressaltou.