Mais um transplante de fígado deve feito no Acre nas próximas horas

Mais um transplante de fígado deve feito no Acre nas próximas horas

O segundo transplante de fígado do Acre deve ser realizado entre este domingo, 8, e segunda-feira, 9, no Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco. Desta vez, a Central Nacional de Transplantes indicou duas pessoas compatíveis de Rio Branco para receber o órgão doado por uma família de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul.

Desde as primeiras horas de sábado, 7, as equipes da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos (CNCDO/Acre) trabalham para organizar a realização do procedimento cirúrgico. Ainda neste domingo, um avião fretado pelo governo do Estado do Acre irá buscar o órgão na capital sul-mato-grossense, e a equipe médica liderada por Tércio Genzini virá de São Paulo para compor a equipe de médicos do HC que irá realizar o transplante.

“São cerca de 50 pessoas envolvidas com essa doação de órgão feita pela família do Mato Grosso do Sul. É um trabalho grandioso entre as equipes das centrais de transplantes nacional e dos estados envolvidos, além de toda a equipe médica de São Paulo e Acre que já se preparam para o procedimento cirúrgico”, relatou a coordenadora da CNCDO/Acre, Regiane Ferrari.

Dois pacientes, possíveis receptores, estão internados no HC, para os preparativos do procedimento cirúrgico. “Os dois homens têm indicações prévias de compatibilidade para receber o órgão, mas somente novas constatações de compatibilidade vão determinar quem receberá o fígado”, explicou Regiane.

1º transplante no Acre

O primeiro transplante de fígado do Acre e também da região Norte feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) foi realizado em Rio Branco, no início do mês de abril deste ano. Lúcio César Leite Nepomuceno passou por mais de oito horas de procedimento cirúrgico para receber o fígado doado por uma família da capital acreana.

Uma semana depois, Nepomuceno saiu caminhando sozinho do HC quando recebeu alta médica. “Sou o resultado da família que doou o órgão, da dedicação dos médicos e do hospital, do empenho das equipes de governo e da permissão de Deus para que eu retomasse a minha vida normalmente”, disse Nepomuceno no dia em que recebeu alta médica.

[agana]