Bambu estava perdido no Acre e não valeu nada até que…

J R Braña B – 

Primeiro, como sempre, foram os asiáticos que descobriram sua importância como proteção de construções contra terremotos (também aproveitado como instrumentos musicais, móveis, cestos e, claro, na construção civil)

O Bambu no Acre é pau-de-dá-em-doido, como dizemos por aqui.

Abundância…!

E agora o governo resolveu dar visibilidade a essa planta tropical renovável.

E já pingou os primeiros reais com a história.

Tá aí o checão de  mais de 2 milhões que o Eron (amazonense de Boca do Acre, hoje no governo federal) veio entregar ao governador.

J R Braña B. 

 

AgGove
Samuel Bryan

Acre recebe R$ 2,4 milhões do governo federal para pesquisas com bambu

O Acre tem a maior floresta de bambu do país. E o governo do Estado tem explorado bastante este potencial, focado na viabilidade econômica e no desenvolvimento sustentável. Como resultado dos esforços e estimulando o setor, o Ministério da Ciência e Tecnologia destinou nesta sexta-feira, 12, R$ 2,4 milhões para a construção do Centro de Vocação Tecnológica do Bambu. O cheque simbólico foi entregue ao governador Tião Viana pelo secretário nacional de Inclusão Social do ministério, Eron Bezerra.

Tião Viana ressaltou que o Acre irá apostar bastante na pesquisa de bambu, e que o empresário americano Mark Neeleman já está viabilizando a Bambacre Fábricas S.A., na antiga fábrica de tacos em Xapuri, que beneficiará o produto. “Eles querem começar a cortar já nos próximos 60 dias e estamos apostando muito nisso. O Acre está procurando todo dia novas saídas econômicas e o bambu está se mostrando mais uma saída para o nosso futuro”, disse o governador.

bambu

(…)