Empresários e governo acertam acordo para mudanças na cobrança de impostos

Empresas não pagam impostos…

..Recolhem.

J R Braña B – 

 

AgGov
Samuel Bryan

O governo do Estado do Acre encaminhou para a Assembleia Legislativa (Aleac) na última quinta-feira, 11, a proposta de reforma tributária, que não era modificada desde 1999. Entre as principais mudanças estão a ampliação da isenção do ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação) para pequenos e médios empresários com faturamento de até R$ 120 mil e a mudança do sistema de cobrança de antecipação para o sistema de apuração.

(…)

A reforma fará com que empresários paguem o imposto justo sobre os serviços oferecidos, aumentará o número de isentos (passando o valor de faturamento máximo de R$ 60 mil para R$ 120 mil por ano) e manterá a isenção de tributos para a cesta básica, além de contemplar materiais escolares e alguns tipos de medicação, como o Paracetamol.

(…)

Fecomércio – Leandro Domingos

-Nós entendemos que essa mudança fiscal vai fazer uma justiça tributária. Com a evolução da legislação, muitos empresários estavam pagando mais do que deveriam e outros, pagando menos. Com o regime de apuração, o empresário vai pagar o preço justo. Este é o grande avanço que estamos construindo.

Grupo Araújo – Adem Araújo

-Muitas coisas avançaram, o mundo vai mudando, e sentimos a necessidade de que houvesse uma alteração na cobrança. E devemos ressaltar que desde o governo do Jorge Viana isso já era tratado junto com os empresários. Ficamos muito felizes e parabenizamos o governador Tião Viana pela conduta e flexibilidade.

Assoc dos Distribuidores – Junior Espereto

-O que aconteceu durante esses dois anos é uma abertura do governo do Estado em discutir termos mais favoráveis. Isso é coisa muito rara em vários Estados, mas temos isso aqui. Essa nova reforma vem corrigir distorções, além da justiça tributária e que cada um pague o imposto justo e devido.

 

reforma trib no acre