Sen JV entra de vez no alto clero da política brasileira (começa dirigir a Reforma Política)

Há tempo que o Acre não tinha um parlamentar no alto no Clero da política brasileira.

Agora tem.

Do alto clero são aqueles parlamentares que têm influência no Congresso, que interferem, de fato, no rumos das coisas do país.

Jorge Viana assume a presidência da Comissão da Reforma Política.

E vai para o centro do debate nacional.

Junto com o relator, de Roraima, Romero Jucá.

J R Braña B.

 

GP

Comissão da reforma política presidida por Jorge Viana é instalada no Senado

jv cp

A comissão especial que analisará as propostas da reforma política no Senado Federal foi instalada nesta terça-feira (23), durante evento na sala de audiências da Presidência da Casa. O colegiado será presidido pelo Vice-presidente, senador Jorge Viana (PT-AC), e terá como relator o senador Romero Jucá (PMDB-RR). A instalação da comissão reuniu a maior parte dos 27 senadores que irão compor o grupo de trabalho.

Jorge Viana reconheceu que mudar a legislação eleitoral não é um tema fácil e que a comissão terá um trabalho difícil pela frente. Durante discurso no plenário, após lembrar que, em 2013, milhões de brasileiros foram às ruas protestar contra os políticos e o governo e lamentar que até hoje o Parlamento não tenha dado uma resposta efetiva às manifestações, o senador afirmou que é dever do Congresso Nacional aprovar essa reforma que vem sendo pedida pela população.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), manifestou a intenção de ver a comissão trabalhando com celeridade para que os temas da reforma política possam chegar ao Plenário o mais rápido possível.

“A comissão trabalhará sugerindo procedimentos, pautas e prioridades para sistematizar e propor um calendário para apreciação de todas as matérias. Se for necessário, nós vamos trabalhar sábado e domingo”, garantiu.

Jorge Viana informou que o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, pretende realizar, em meados de julho, o segundo turno das votações das propostas sobre reforma política já aprovadas pelos deputados. Também no Senado há várias propostas já aprovadas sobre o assunto. Por isso, ele espera um bom trabalho da comissão e do Senado.

“Por que nós não fazemos aquilo que é a essência, que é melhorar e aperfeiçoar o sistema político brasileiro? Temos que resgatar o trabalho feito, votado e encaminhado para a Câmara e ver que pontos nós podemos apreciar para que o processo eleitoral brasileiro tenha maior segurança jurídica, que o Judiciário não tenha que legislar por conta das lacunas que deixamos na legislação”, disse o senador.