O quiosque do horto da capital é assim, vigilância sanitária!

O quiosque do horto da capital é assim, vigilância sanitária!

 

J R Braña B.

Dias atrás reclamei aqui que o quiosque do horto florestal de Rio Branco nunca tá aberto nas horas que a maioria que frequenta o sítio público mais precisa.

Entre as 18 às 20h, horário de maior fluxo, o concessionário se dá o luxo de não abrir.

Dizem os funcionários que conversei que o quiosque abre depois das 14 horas e fecha antes das 18…

 

-Se uma nuvem escurecer o quiosque não abre…o dono não vem – garante um funcionário do horto.

-Quatro da madrugada já têm pessoas chegando ao horto para caminhar, correr – diz o mesmo servidor que trabalha na vigilância.

-Aqui passam por dia uma média de 1.200 pessoas e quando há eventos chega a três mil pessoas – diz outro.

 

Pois é: reclamei apenas porque o quiosque nunca está aberto quando preciso (eu e dezenas) comprar uma água e nunca posso.

O quiosque fecha antes do sol se pôr completamente.

E mais disseram os servidores do horto:

 

-O explorador do quiosque não paga água, energia, aluguel, taxas…nada!

-Nem ganhar dinheiro sabe – emenda outro.

 

Diante dessas informações fui ao quiosque na sexta-feira, claro, depois das 18h e, como sempre, fechado.

Aproveitei para sacar unas fotitas, que comparto con vos:

E fico esperando (eu e todos os frequentadores do horto) uma providência da direção do sítio de ócio público e, óbvio, da vigilância sanitária que, por menos, lacrou por dias o quiosque de sorvete do supermercado Araújo, Aviário.

quiosque horto
Por fora, lindo…por dentro…

Interior do quiosque do horto da capital:

[Freezeres em condições precária]

quiosque horto2quiosque horto5quiosque horto1

 

 

E essa imagem sinistra atrás de um freezer, que parece tudo…menos o interior de um quiosque que deveria funcionar bem no horto de Rio Branco.

quisoque horto2
Com a palavra, a vigilância sanitária…

 

J R Braña B.