Acre em busca de 600 milhões para melhorar a vida dos que mais precisam

Acre em busca de 600 milhões para melhorar a vida dos que mais precisam

AgGov

Em Brasília, Tião Viana trata de crédito para saneamento e inclusão social

O governador Tião Viana tratou nesta terça-feira, 22, com o ministro da Casa Civil da Presidência da República, Jaques Wagner, da etapa final do crédito do Banco Mundial destinado a executar o Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica (Proser) do estado.

No encontro com Jaques Wagner, o governador também participou da reunião que o ministro manteve com o líder do PT na Câmara, deputado Sibá Machado (PT-AC), e outras lideranças petistas, sobre uma agenda positiva para o país que supere as grandes barreiras da economia e possibilite alternativas para a retomada do crescimento econômico.

“Tratei especificamente com o ministro da Casa Civil da etapa final do crédito do Banco Mundial destinado ao estado, para o qual a Presidência da República está empenhada em nos ajudar”, disse Tião Viana.

Segundo ele, outro assunto discutido com Jaques Wagner foi a liberação de créditos remanescentes a que o Acre tem direito junto ao Ministério da Saúde (MS).

Segundo o secretário de Planejamento do Estado, Márcio Veríssimo, o crédito do Banco Mundial é da ordem de US$ 150 milhões (600 milhões de reais), que já foi aprovado pelo banco e pelo Cofiex, e está em fase final de aprovação no Executivo.

Previsto para ser executado em quatro anos, o Proser vai contribuir com os esforços do governo do Acre em promover a inclusão social e econômica da população carente do estado que vive em áreas e municípios isolados do território acreano.

No primeiro componente do programa, estão previstos recursos da ordem de US$ 73,7 milhões para a execução de serviços básicos em favor das comunidades isoladas, que consistem na ampliação do acesso aos serviços básicos de educação, melhoria e expansão de serviços básicos de saúde, implementação de sistemas agroflorestais sustentáveis e saneamento integrado em áreas isoladas.

No componente dois do programa, os recursos previstos são da ordem de US$ 28,3 milhões, para a execução de ações de inclusão social e econômica em áreas rurais, com ampliação e melhoria da qualidade dos serviços básicos de educação, ampliação e melhoria da qualidade dos serviços de saúde, fortalecimento dos projetos agroflorestais nas cadeias produtivas e desenvolvimento agroflorestal sustentável em terras indígenas.

Em seu terceiro componente, o Proser prevê a aplicação de US$ 18,9 milhões em ações de empreendedorismo em comunidades urbanas prioritárias, com desenvolvimento educacional para a inclusão social dos grupos mais desfavorecidos das áreas urbanas, atividade de saúde para inclusão social e ações de empreendedorismo em áreas urbanas.

E no componente quatro do programa estão previstos investimentos de US$ 22,1 milhões para a execução de políticas públicas e de fortalecimento institucional, com a modernização da gestão do setor público e o fortalecimento institucional das organizações indígenas.

O quinto e último componente contará com US$ 7 milhões para a execução da gestão e da disseminação de informações do programa.