Caso Bel Pesce: Empreendedorismo, superexposição e gestão de crise

Por Vivian Rio Stella – 

Muito tem se falado nessas últimas semanas sobre o caso Bel Pesce. Em meio a acusações de todos os lados e defesas da própria menina do Vale e seus admiradores, proponho algumas reflexões sobre empreendedorismo, superexposição e gestão de crise. 

Empreendedorismo: Não há empreendedores de sucesso que não tenham falhado em algum momento. É uma ilusão, portanto, pautar-se apenas por belas histórias relatadas em revistas sobre empreendedores que tiveram uma grande ideia, faturaram milhões em um ano e tem uma vida equilibrada e saudável. Eles existem? Pode ser que sim, mas em que proporção no universo cada vez maior de empreendedores?

Além disso, os bastidores dessas histórias inspiradoras são sempre repletas de problemas diários, inseguranças e superações, em todos os aspectos, assuntos pouco abordados ainda quando se trata do tema. Por isso, saiba que por trás de casos de sucesso, há muito, muito trabalho, erros e acertos, dias incríveis e dias para esquecer – que vão muito além do tal brilho nos olhos, da vontade de aprender continuamente, da construção colaborativa e de ideias inovadoras. 

Superexposição: Ver e ser visto. Esse é um dos princípios que norteiam as redes sociais e outras plataformas colaborativas. Em busca dessa visibilidade, profissionais, marcas e empresas têm se dedicado a postar informações atualizadas num fluxo cada vez mais intenso nas mais variadas redes sociais. Como consequência dessa exposição na web, pessoas e organizações ganham notoriedade e desenvolvem seus negócios e carreiras (ou vice-versa). Mas à primeira polêmica em que se envolvem, esses mesmos profissionais ou empresas culpam haters e redes sociais por mal-entendido ou parcialidade na informação.

Lembre-se: a mesma mídia que te promove é a que te destrói. Por isso, é preciso mais cuidado com essa superexposição, porque prezar por uma imagem construída de forma sustentada é das tarefas mais árduas em tempos de redes sociais e overposting. Vale a pena refletir sobre o impacto do que e de quanto você posta, seja você um profissional ou uma empresa. Essa pode ser uma medida e tanto para evitar futuras crises de imagem, que duram algum tempo e sugam muita energia para serem superadas.

Gestão de crise: Depois de anos sendo aclamada pelo público em diferentes contextos (eventos, palestras, reportagens, entrevistas, podcasts etc), a veracidade das informações divulgadas pela própria Bel Pesce foi questionada após uma frustrada tentativa de crowdfunding com um ganhador do programa ‘MasterChef’. Desde então, ela vem se defendendo de diferentes maneiras (vídeos e textos nas redes sociais), com o intuito de esclarecer dados que não estavam tão claros sobre sua trajetória, segundo ela mesmo afirmou em seu vídeo mais recente. O problema é que quanto mais ela se explica, apresenta o que ela fez e faz, mais dá munição para os críticos.

Não seria hora de Bel Pesce mudar a postura de overposting e de se justificar? Por que manter-se em evidência, mesmo que seja com o intuito de se explicar e se desculpar? Muitas vezes, aguardar, deixar a poeira baixar e postar algo breve, relevante e em momento oportuno poderia ser mais efetivo para gerenciar a crise de imagem a que ela está sujeita nesse momento. Uma lição importante diante de uma crise para profissionais e empresas: ignorá-la pode significar, nas entrelinhas, dar razão ao que afirmam sobre você/sua empresa, mas justificar-se demais e de diversas formas, sem os argumentos relevantes na discussão, pode prolongar ainda mais a polêmica, desnecessariamente.
* Vivian Rio Stella é sócia-diretora da VRS Cursos, Palestras e Coaching (www.vrscursos.com.br), especializada em comunicação, liderança e empreendedorismo. Doutora em Linguística pela Unicamp e pós-doutora pela PUC-SP.