J R Braña B. – Dona Marisa: realidade e ficção

Do meio de uma estrada no Brasil me entristeço também com o adeus à dona Marisa Lula da Silva.

Nem o melhor dos roteiristas dos filmes norte-americanos poderiam imaginar: em meio a uma implacável perseguição política jamais vista no país Lula perde sua fiel companheira de tudo.

Dona Marisa foi tudo na vida de Luís Inácio.

Dias atrás publiquei texto de Hildegard Angel, que, em belas linhas, disse tudo e mais um pouco sobre o papel que essa mulher, mãe, jogou nos oito anos de mandato de Lula.

Marisa foi o contrário de todas as primeiras damas.

Ela nunca foi primeira dama, foi, isso sim, sempre a primeira mulher, a primeira companheira do melhor presidente da história da república do Brasil.

Descanse em paz, dona Marisa.

J R Braña B.

 

editado by AV