Pesquisa revela que metade das mulheres do Acre desconhece período fértil

Acre está em 5º lugar no ranking de mulheres que desconhecem o próprio período fértil, revela pesquisa

(O percentual de mulheres em Rio Branco que sabe quando pode engravidar é de 47%)

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a infertilidade é definida como tentativas para a fertilização por um período que excede um ano e em que a mulher não utiliza quaisquer métodos anticoncepcionais.

Segundo artigo publicado pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, o aumento na procura de técnicas de reprodução está intimamente ligado com o adiamento da gestação por meio de métodos contraceptivos. Problemas como tabagismo, consumo excessivo de álcool, uso de drogas e histórico pessoal ou familiar de doenças como a endometriose também podem ser agravantes que contribuem com a infertilidade. 

Problemas de fertilidade no Brasil – A mulher e seu corpo

Por mais que se fale sobre a importância do conhecimento do próprio corpo, ainda é vivenciado no Brasil um desconhecimento das mulheres sobre si mesmas no contexto fisiológico —, isso é o que revela a Pesquisa sobre o Período Fértil realizada pelo portal Trocando Fraldas.

O estudo foi realizado com 12.000 mulheres de todo o país e traz dados reveladores como metade das mulheres entrevistadas que desconhece quando pode engravidar e entre as mulheres que estão na tentativa de uma gestação o índice chega a 56% de desconhecimento.

A deficiência de informação se mostrou maior na região Norte em que 45% das mulheres sabe quando pode engravidar e menor na região Sul em que 53% das mulheres conhece sobre o período fértil.

Pará é o estado em que as mulheres se mostraram menos informadas, apenas 2 em cada 5 mulheres sabem quando pode engravidar, seguido pelos estados Sergipe e Mato Grosso do Sul.

O estado do Acre está em quinto lugar do ranking de mulheres que desconhecem o próprio período fértil com 45% e em Rio Branco este percentual sobe para 47%.

Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Paraná são os estados com a população mais informada no assunto com um percentual de 53-54%.

Dentre as capitais, Campo Grande e Palmas têm o menor índice de conhecimento feminino sobre o próprio corpo, 36% e 39% respectivamente. Em Curitiba e Belo Horizonte o público feminino se mostrou mais informado, com 54% e 52%.

Em uma média geral no estudo conduzido pelo TF 41% das mulheres entrevistadas não tinha conhecimento sobre o período fértil; 55% ou 5 em cada 9 mulheres conhece a duração do ciclo menstrual, enquanto o restante não soube responder sobre o própria menstruação.

O que estes dados revelam é que tanto mulheres que querem engravidar quanto as que não desejam uma gestação apresentam dificuldades para responder questões sobre o funcionamento do próprio corpo desde quando estariam aptas a engravidar até sobre o próprio ciclo menstrual.

Fonte

Perspectiva de casais em relação à infertilidade e reprodução assistida: uma revisão sistemática. Reprodução e Climatério. Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, 2016.