Ex-secretário: ‘saí da prefeitura de Sena por questão salarial e familiar’

Eder Ribeito, empresário de castanha no Quinari

Eder Ribeiro, ex-secretário de adm-finanças de Sena Madureira, liga para oestadoacre nesta noite e dá sua versão sobre sua saída da gestão do prefeito Mazinho.

Aproveitei e fiz algumas perguntas:

Por que você deixou a prefeitura?

-Gostaria de dizer aos leitores do oestadoacre que saí da prefeitura por questão familiar e por questão salarial…não tive nenhum problema com o prefeito Mazinho. Não quero status de secretário…

Quanto você ganhava na prefeitura?

-Cinco mil brutos…R$ 4,1 líquidos.

O que você está fazendo agora depois que saiu?

-Estou morando no Quinari, tenho uma empresa de castanha e em duas carretas que vendo ganho o equivalente a um ano de salário na prefeitura de Sena.

Cada carreta de castanha vale quanto?

-Uns R$ 30 mil.

Lá atrás se comentava em Sena que a sua relação com  Mazinho era péssima…é verdade?

-Mazinho foi um pai para mim. Chequei sem nada em Sena…E o Danielzinho, que considero como irmão.

Dizia-se também que você havia deixado a Finanças porque não teria concordado com os métodos do prefeito? É verdade?

-Olha, de todos os secretários eu e o Danielzinho somos quase irmãos do Mazinho…Não gosto de dizer isso para não haver problemas com os outros secretários.

Você vai apoiar a primeira dama na campanha?

-Vou fazer o possível aqui no Quinari para ajudar a Meyre.

Você desmaiou um dia dentro da prefeitura?

-Sim…desmaiei um dia que o FPM foi bloqueado.

Mazinho terá dificuldade de honrar as contas na prefeitura de Sena?

Com relação a salários eu acho que conseguirá honrar em dia.

Pra finalizar: ninguém pressionou você a fazer esta ligação agora a noite?

-Liguei por minha livre e espontânea vontade para dizer que saí para cuidar da minha empresa e dos meus pais, que precisam de mim….e agradeço a você me atender.

Eder, que tem empresa de Castanha no Quinari – falou ainda de um evento sobre a comercialização da castanha, que acontecerá em Rio Branco, na segunda, 9h, na Fieac, e cujo projeto apresentado pelo deputado Heitor Junior foi bombardeado pelo deputado Gerlen Diniz.

-O deputado Gerlen disse que o projeto prejudicaria Feijó e Tarauacá…o deputado não sabe que depois da ponte do Caeté não existe mais nenhuma castanheira. A proposta foi feita pelo senador Jorge Viana e tem o meu apoio e o do prefeito Mazinho porque será muito melhor para o Acre…não ficaremos nas mãos dos peruanos e bolivianos, que chegam aqui compram tudo e não recolhem impostos.

J R Braña B.


Ajude a manter oestadoacre.com….contrainformação, informação, análise, liberdade e lado..!

Antes publicamos…: