Prefeita veta excrescência da câmara fundamentalista da capital

A prefeita Socorro Nery, vetou o projeto (?) aprovado pela maioria dos vereadores de Rio Branco que atende pelo nome de ‘Estatuto da Família’.

prefeita socorro

O ‘projeto’ do edis, além de pré-histórico, é inconstitucional e os avanços da humanidade falam por si.

Uma mobilização do MP estadual ajudou na decisão da prefeita.

Do CNJ:

Nos últimos quatro anos, desde que a Resolução n. 175/2013 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entrou em vigor, obrigando os cartórios a realizarem casamento entre casais do mesmo sexo, ao menos 15 mil casamentos homoafetivas foram feitos no Brasil. 

Ao proibir que autoridades competentes se recusem a habilitar ou celebrar casamento civil ou, até mesmo, a converter união estável em casamento, a norma contribuiu para derrubar barreiras administrativas e jurídicas que dificultavam as uniões homoafetivas no país.

Para juízes e cartorários, a medida foi um divisor de águas na sociedade. 

(…)

Só a nobre câmara de vereadores da capital do Acre não compreendeu esse acontecimento histórico na sociedade brasileira.

Mais CNJ:

Até 2013, quando ainda não havia essa determinação expressa, muitos estados não confirmavam sequer uniões estáveis homoafetivas, ainda que, em 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha afirmado essa possibilidade durante o julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI). “A decisão do STF dava margem a interpretações diversas. E, sendo assim, os cartórios não se sentiam obrigados. Quando veio a norma do CNJ determinando o casamento independentemente do entendimento pessoal do notário ou do registrador, foi um marco legal”, afirmou a juíza Raquel de Oliveira, da 6ª Vara Cível Regional do Fórum de Jacarepaguá, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ).

(…)

Atraso

Em época de campanha é fundamental os eleitores avaliarem melhor seus candidatos…o exemplo da câmara de Rio Branco é uma constatação de que a capital do Acre não votou bem nas últimas eleições.

A câmara não pode se transformar numa instituição fundamentalista.

 

J R Braña B.