Galo fez bonito (futebol do Acre precisa de apoio)

Série C

Os atletas do Náutico, pelo menos um deles, Breno, classificou o gramado do Florestão/Tonicão de ‘pasto’.

série c

O presidente do Atlético, por sua vez, pediu apoio para o Galo e para o futebol, como um todo.

Fui com minha Deyse ver o jogo: chegamos em cima da hora…na verdade quando entramos a partida já rolava havia uns dois minutos.

O Acre é único lugar do planeta onde o torcedor chega ao estádio em cima da hora ou mesmo já depois de ter começado o jogo e entra…sem problemas…não há assaltos nem confusão comuns dos estádios pelo Brasil.

Nesse aspecto somos primeiríssimo mundo.

O jogo passou na TV do Recife.

O Galo venceu o Náutico por 1 a 0.

Justo.

Gostei de dois jogadores do Galo, mas não sei os seus nomes….um joga no meio e o outro na frente.

O árbitro apitou bem…na minha opinião não teve influência no resultado do jogo.

(Influência mesmo aconteceu no Maracanã, quando o FLU poderia ter vencido o São Paulo não fosse o péssimo apitador)

O Náutico foi melhor a maior parte do primeiro tempo…

No segundo o jogo foi muito melhor para os dois lados…

O gol da vitória do Galo incendiou a galera já aflita com o empate.

Bem…

Os nossos estádios não são bons…o Florestão/Tonicão quebra um galho…vi que os atletas do Náutico, durante o intervalo – tiveram que descansar à beira do gramado…o vestiário deve ser um forno, sem conforto algum e eles devem ter preferido permanecer no próprio campo.

E a Arena da Floresta…?

O principal estádio do Acre está precisando de cuidados urgentes..

Parece um amontoado assombrado quando se avista de longe…da esburacada e descuidada Via Chico Mendes.

Mas, enfim…o futebol tira a gente da rotina chata da política, do disse-me-disse…do politicamente correto.

Na arquibancada, ouve-se de tudo…: juiz fdp, ladrão, vagabundo, é a tua mãe….imundície…e por aí afora…

Só duas coisas aplacam a fúria de uma torcida…: o gol e a vitória do seu time.

O Galo venceu e todos nós saímos felizes da vida para enfrentar mais uma semana de trabalho e luta por uma vida melhor num país comandado por uma quadrilha digna dos adjetivos bradados nesta noite no Florestão/Tonicão.

J R Braña B.