Seis meses: Reforma Trabalhista (do patrão) ferra o trabalhador

Seis meses da reforma trabalhista, do empregador, e o resultado é o que era esperado pelos sindicatos e trabalhadores de todo o Brasil: desemprego e empobrecimento da maioria.

reforma trabalhista

Aqui o PiG faz um arrazoado tentando mostrar alguma vantagem da reforma que só beneficiou os empregadores.

E comemora disfarçado com a redução das ações na justiça (causada pela medida draconiana que impõe ao trabalhador a responsabilidade de pagar os honorários caso perca a ação).

O mesmo PiG que ajudar a espalhar a mentira de reforma trabalhista, do empregador, iria gerar milhões de empregos…o país chega aos 14 milhões de desempregados….mesmo índice do governo tucano de FHC.

Só a eleição de um novo presidente progressista e comprometido (idem para o Congresso) com a maioria da população pode inverter essa situação e anular essa reforma prejudicial aos trabalhadores.


no g1:

Após 6 meses, nova lei trabalhista traz mudanças, mas ainda enfrenta resistência; veja as consequências

Seis meses após sua criação, a reforma trabalhista saiu do papel e vem mudando aos poucos a dinâmica das relações entre patrão e empregado. Contudo, ela ainda esbarra em forte resistência por parte de sindicatos e insegurança jurídica nos tribunais. A nova lei trabalhista entrou em vigor em 11 de novembro de 2017.

(…)