PHA: A quem interessa a dependência química do Casa Grande? (v)

# pha copa rússia globo

oestadoacre reproduz ácido texto de Paulo Henrique Amorim, do Caf, sobre a última cena da globo na Copa da Rússia.

É pau na moleira por comer sabão e pau na moleira para saber que não se deve comer sabão…


A quem interessa a dependência química do Casa Grande?

 

Globo faz do Brasil a sua alcova

globo

No fim do jogo da França com a Croácia, os espectadores da Rede Globo Overseas (empresa que tem sede na Holanda para lavar dinheiro e subornar agentes da FIFA com objetivo de ter a exclusividade para transmitir os jogos da seleção) tiveram um exemplo revoltante da forma como a empresa se relaciona com o Brasil que domina e explora.

Enquanto a imagem da FIFA mostrava o Mbappé, o comentarista Casa Grande informou que naquela Copa não tinha cedido a uma suposta dependência química.

Ele e Galvinho se emocionaram com a inesperada e cortante confissão pública.

Galvinho, como se se sabe, tem a batata por assar.

Arnaldo anunciou que vai se aposentar, porque tem outros negócios a tratar e “a Globo estará sempre de portas abertas”.

(Não é o contrário, veja bem. Quem abre as portas é ele. Não é a Globo, mas ele à Globo.

Assim como o programa na GloboMews é propriedade da Míriam Leitão e não dos filhos do Roberto Marinho.

A celebridade na Globo deve desorganizar os miolos de seus protagonistas.)

O Ronaldo fenômeno é, é, é o que é.

Não é.

A quem interessa?

Quando se fecham naquele cubículo da transmissão, nos estádios, ou na caverna envidraçada, de US$ 10 milhões, atrás da Praça Vermelha, eles devem ter a certeza de que estão sozinho, no mundo.

E que, portanto, controlam o Brasil e suas emoções – baratas. Ou as ignoram.

Que ali são inatingíveis, como no Olimpo ou num baile funk na favela!

O Brasil lá de fora não tem a menor importância.

O mundo é aquele nicho deles, privilegiados, e os demais, la fora, que os sigam como carneiros.

Ou devotos.

O espectador é apenas um instrumento para sua projeção pessoal – financeira e freudiana.

Lamento muito, Casa Grande, mas sua suposta dependência química não interessa!

A ninguém.

O que interessa é bola na rede!

Se você foi ou é dependente é um problema entre você e seu psiquiatra.

O Brasil não é o seu psiquiatra.

Como não era o seu fornecedor de droga.

Da forma como a Globo controla e explora o Brasil, o espectador não passa de um avião.

O agente que transporta a Globo para sua suíte exclusiva, paga com propina.

Dependente químico é o que assiste à Globo!

Assista à cena que se desenrolou na alcova da Globo – melhor tirar as crianças da sala:

PHA