Autorização para demitir: silêncio no Acre com ameaça ao servidor público

# carta governadores

carta

oestadoacre, até o momento, foi o único medio de comunicação a publicar que os governadores eleitos (incluindo GladsonC) pediram em carta (aqui e aqui) ao presidente eleito Bolsonaro o fim da estabilidade no emprego para servidores públicos (executivo, legislativo, judiciário, prefeituras….).

Uma passada rápida neste sábado nas capas da imprensa do Acre e….. nada!

Nem reação alguma ainda entre os políticos…silêncio político…!

Reação somente até agora nas redes antissociais…

Mas por quê o silêncio na imprensa????!!

Autocensura?

Sei….!

Quais governadores estiveram com o presidente eleito e entregaram a carta?

  • Acre – Gladson Cameli (PP);
  • Amapá – Waldez Góes (PDT);
  • Amazonas – Wilson Lima (PSC);
  • Bahia – João Leão, vice (PP);
  • Distrito Federal – Ibaneis (MDB);
  • Espírito Santo – Renato Casagrande (PSB);
  • Goiás – Ronaldo Caiado (DEM);
  • Minas Gerais – Romeu Zema (Novo);
  • Mato Grosso – Mauro Mendes (DEM);
  • Mato Grosso do Sul – Reinaldo Azambuja (PSDB);
  • Pará – Helder Barbalho (MDB);
  • Paraná – Ratinho Jr. (PSD);
  • Piauí – Wellington Dias (PT);
  • Rio de Janeiro – Wilson Witzel (PSC);
  • Rio Grande do Sul – Eduardo Leite (PSDB);
  • Rondônia – Coronel Marcos Rocha (PSL);
  • Roraima – Antonio Denarium (PSL);
  • Santa Catarina – Comandante Moisés (PSL);
  • São Paulo – João Doria (PSDB);
  • Tocantins – Mauro Carlesse (PHS).

Em tempo: o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), já disse que não concorda com o fim da estabilidade dos servidores públicos.

J R Braña B.


Gostou desse conteúdo? Ajude a manter oestadoacreclique aqui